Povo Nordestino é o tema da decoração do Pelourinho no São João da Bahia

Música, No Circuito
20 de junho de 2017
por Genilson Coutinho

WhatsApp Image 2017-06-20 at 10.44.44 (1)

A beleza e a alegria dos nordestinos são representadas no São João da Bahia com as ruas e praças do Pelourinho enfeitadas para a realização da maior festa popular do estado, de 22 a 24 de junho. Povo Nordestino é o tema da decoração, um atrativo a mais da programação preparada pelo Governo do Estado por meio da Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa).

Elementos tradicionais da cultura do Nordeste estarão presentes no Largo do Pelourinho, no Terreiro de Jesus e no Cruzeiro de São Francisco. Uma área de aproximadamente 780 mil m2 é cuidadosamente decorada com a temática junina, criando assim o cenário ideal para a festa.

“O colorido da decoração e a cenografia se harmonizam perfeitamente com a arquitetura local, proporcionando aos visitantes a sensação de estar numa cidadezinha do interior”, afirma o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado. Segundo ele, o Governo do Estado não poupou esforço no sentindo de proporcionar um grande espetáculo para baianos e turistas.

A festa começa a ganhar vida com a decoração típica. As bandeirolas coloridas, os bonecos, os estandartes, a “casa de reboco”, entre outros elementos, conferem aos espaços as características de um “arraiá” tradicional. Ao todo, serão utilizados mais de 35 mil metros de bandeirolas distribuídas entre ruas, praças e largos.

O Largo do Cruzeiro de São Francisco, coberto por bandeirolas, tem como destaque seis balões e um casal de bonecos caipiras com mais de três metros de altura, além de três portais de sete metros com girassóis, pés de milho e espantalhos. Doze postes de oito metros contornando a praça e 12 balões de três metros também vão dominar o cenário, no Terreiro de Jesus.

As ruas do Centro Histórico estão sendo cobertas por bandeirolas e quatro pórticos de mais de cinco metros estarão espalhados no percurso entre os  palcos. Toda a decoração é planejada no sentido de não provocar danos ao patrimônio público, informa o empresário Baldomero Trindade, responsável pela criação das alegorias juntamente com a artista plástica Telma Calheira.