Policiais são capacitados em Salvador para atendimento à população LGBT

Notícias
1 de junho de 2015
por Genilson Coutinho
Foto: ASCOM/SJDHDS

Foto: ASCOM/SJDHDS

Cerca de 120 agentes da segurança pública do Estado, entre policiais militares, civis e bombeiros, participaram, na última quinta-feira (28), no Auditório de Departamento de Polícia Técnica, nos Barris, do Seminário ‘Violência LGBT: qualificando o atendimento polícial’. A capacitação é fruto da parceria entre as secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e de Segurança Pública (SSP). O evento integra a programação do Maio da Diversidade, agenda de atividades e ações afirmativas realizada pela SJDHDS, com o intuito de dar maior visibilidade e chamar a atenção para o preconceito e crimes de natureza homofóbica na Bahia.

A realização do seminário partiu de uma demanda do próprio segmento LGBT que provocou o Estado para uma qualificação dos agentes da segurança nos atendimentos dos casos a grupos vulneráveis que são vítimas de sucessivos casos de violência. A superintendente de Apoio e Proteção aos Direitos Humanos, Anhamona de Brito, ressaltou a importância do preenchimento do campo de identidade de gênero nas ocorrências policias como forma de enfrentar a ‘invisibilidade’ sofrida por esse segmento. “Quando passamos a alimentar a base de dados podemos acompanhar os casos de violência sofrido por esse público”, disse.

Durante o seminário, que contou com a participação de Paulette Furacão, a primeira trans a ocupar um cargo público no Estado, os agentes aprenderam formas de abordagem e tratamento ao público LGBT, bem como a diferença conceitual entre identidade de gênero e orientação sexual. “Esse curso será importante, vai poder preparar o policial para entender como servir a esse público”, comentou o tenente Guiais.

O respeito à identificação social feminina ou masculina e o respeito à intimidade da pessoa abordada foram alguns dos assuntos discutidos durante o encontro que contou com a presença maciça de policiais que atuam na região da orla, local em que se concentra um grande número de transexuais e travestis profissionais do sexo. “Com esse seminário esperamos prevenir práticas que se configurem homofobia institucional”, explicou Paulette Furacão.
Distribuição de kits

Kits para atendimento de policiais à população LGBT, com banners destacando a mensagem ‘Segurança Pública contra a Homofobia’, bem como folders com texto orientador para este público foram entregues durante o seminário. O material também será entregue em delegacias da capital como forma de sensibilizar para a importância de garantir o direito de um atendimento policial digno à comunidade LGBT. A entrega faz parte da campanha do 3º Maio da Diversidade, iniciada no dia 4 de maio, com o tema ‘Zero violência LGBT, por uma Bahia que respeite a diversidade sexual e de gênero’.