Polícia acredita que estudante da UFRJ pode ter sido envenenado

Notícias
8 de julho de 2016
por Genilson Coutinho

A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil, que está investigando a morte do estudante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Diego Vieira Machado, cujo corpo foi encontrado na tarde de sábado (2) no campus da Ilha do Fundão, também trabalha com a hipótese de envenenamento. As informações são do jornal ”O Globo”.

A possibilidade foi levantada pela polícia após os resultados preliminares da necropsia indicarem que os ferimentos encontrados na cabeça e nos braços não poderiam ter provocado a morte do estudante.

Segundo o delegado titular da DH, Fábio Cardoso, os exames solicitados ao Instituto Médico-Legal podem desvendar a dinâmica da morte.

Até o momento, a polícia investiga se a morte do jovem tem relação com homofobia. Na segunda-feira (4), o Programa Rio Sem Homofobia, do governo fluminense, repassou à polícia a informação de que tanto Diego quanto outros estudantes gays e negros vinham recebendo ameaças. O jovem queria se mudar do alojamento universitário porque se sentia ameaçado.

Na quarta-feira, os estudantes de Letras realizaram protestos contra a morte de Diego. “A nossa luta é todo dia contra o machismo, o racismo e a homofobia”, gritava o grupo ao marchar pela Avenida Horacio Macedo e seguir pelo pátio central da faculdade, no Fundão.