Pezão exonera secretário de Direitos Humanos que disse crer em ‘cura gay’

Notícias
17 de fevereiro de 2016
por Redação

Horas depois de anunciar que iria “tomar providências” a respeito das declarações de Ezequiel Teixeira sobre uma suposta “cura gay”, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, exonerou na noite desta quarta-feira (17) o pastor da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH). Para o lugar de Ezequiel irá o atual secretário de Governo, deputado Paulo Melo (PMDB).

Em entrevista ao jornal O Globo, publicada o agora ex-secretário se disse a favor da “cura gay” e contra a união homoafetiva. “Eu não creio só na cura gay, não. Creio na cura do câncer, na cura da Aids… Sabe por quê? Porque eu sou fruto de um milagre de Deus”, disse Ezequiel, que também disse se sentir vítima de intolerância, por ser identificado apenas como pastor.

Pezão criticou a fala de Ezequiel e foi categórico ao afirmar que não compartilhava das opiniões do secretário. “Não é o meu posicionamento, eu sou totalmente contra a posição dele. Vou tomar providências. Coloco aqui a minha insatisfação com as declarações dele”, disse o governador.

Ezequiel Teixeira foi nomeado para a secretaria em 15 de dezembro, já sob críticas de entidades de apoio a homossexuais, que temiam que as convicções religiosas do secretário prejudicassem as políticas de assistência LGBT. Desde a chegada dele à pasta, ocorreu o esvaziamento do programa Rio Sem Homofobia, com a dispensa de mais de 60 funcionários e o fechamento dos quatro centros que prestavam assistência à população LGBT.

Coordenador do programa, Cláudio Nascimento, que vinha criticando o descaso do secretário com o Rio Sem Homofobia, também foi alvo de Ezequiel na entrevista: “Os incomodados que se mudem. Fui convidado para a secretaria e todos sabiam de minhas conviccções”.