Pessoas com aids são mais atingidas pela tuberculose

Sem categoria
28 de março de 2012
por Genilson Coutinho

A tuberculose é a doença que mais impacta na mortalidade dos pacientes de aids, que ficam muito mais suscetíveis à infecção por conta do enfraquecimento do sistema imunológico. Para se ter uma ideia, em 2010, entre os casos novos de tuberculose notificados, 10% eram de pessoas que tinham HIV.

“A oferta universal da testagem anti-HIV aos pacientes com tuberculose é a principal estratégia do governo para reduzir o número de mortes resultante da coinfecção com o vírus da aids”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, durante a apresentação dos dados do Boletim Epidemiológico Tuberculose 2012, que aconteceu nesta segunda – feira (26), em Brasília. De acordo com o secretário, enquanto em 2001 apenas 25% dos pacientes com tuberculose faziam o teste para saber se tinham aids, em 2010, 60% foram testados.

O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) mostrou que em 2010 a região Sul do Brasil apresentava o maior percentual de coinfecção, com 18,6% dos casos – quase duas vezes superior à média nacional. Os estados com as maiores taxas de infecção são Santa Catarina (21,1%) e Rio Grande do Sul (26,6%). Esse indicador está intimamente relacionado à realização do exame anti – HIV. No Sul é onde se registra o maior percentual de realização do exame: 67,1%.

Por outro lado, o número de casos da doença na população em geral diminuiu 3,54% de 2010 para 2011 (de 71.790 para 69.245), o que já é, segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, um sinal de que a estratégia de enfrentamento da doença está no caminho certo. “É a primeira vez que fechamos o ano com menos de 70 mil casos registrados. A doença já vem diminuindo no Brasil, mas intensificamos essa curva de redução”, disse o ministro.

Para o secretário Jarbas Barbosa, os determinantes sociais influenciam diretamente nas estatísticas. “Cerca de 24% dos casos novos são em pessoas em situação de pobreza. Por essa razão, cada vez mais devemos buscar sinergia entre os programas sociais e os de saúde”, afirmou.

A inclusão da tuberculose no Plano Brasil Sem Miséria, do governo federal, é a maneira de se articular com outros setores para o enfrentamento da doença, levando em consideração os aspectos socioambientais e econômicos.

Blog da Saúde, com informações do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais