Pesquisa revela que casamento gay é tão estável quanto uniões heterossexuais

Notícias
26 de janeiro de 2016
por Genilson Coutinho

(FOTO: JOSE ANTONIO NAVAS/FLICKR/CREATIVE COMMONS)

A crença de que uniões estáveis entre casais do mesmo sexo sejam menos duradouras do que casamentos tradicionais não condiz com a realidade. Ao menos esta é a conclusão de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelo sociólogo Michael Rosenfeld, da Universidade Stanford, que acompanhou 3.009 casais de diversas partes do país entre 2009 e 2013. Entre os selecionados, 471 mantinham uma relação homoafetiva. Ao comparar as taxas de separação durante o período, o pesquisador descobriu que elas não apresentaram diferenças substanciais.

No artigo publicado no início do mês no periódico Journal of Marriage and Family, Rosenfeld explica que pesquisas anteriores que reportavam uma maior instabilidade em relacionamentos gays não levavam em conta que as taxas de casamento dentro da comunidade LGBT eram menores. De acordo com o sociólogo, o que determina a longevidade de uma relação entre duas pessoas não é o sexo do casal, mas sim o fato de estarem casadas ou não. Ele também deixa claro que o conceito de ‘casamento’ não é restritivo, podendo abranger também uniões estáveis ou convivências maritais.

“O compromisso do casamento está associado a um forte benefício para a estabilidade de um casal, seja ele heteroafetivo ou homoafetivo”, afirma Rosenfeld. O levantamento, maior do gênero já realizado, revelou também que casais gays comprometidos em uma relação matrimonial mantiveram seus vínculos independentemente do reconhecimento oficial do governo.

Na vertical, as taxas anuais de separação, na horizontal a duração em anos da relação | linhas vermelhas indicam casais heterossexuais, as azuis casais homossexuais; linhas pontilhadas são para casais não-casados e as cheias para casamentos oficiais (foto: reprodução)

Da Revista Galileu