Pelourinho, em plena sexta-feira, traz samba, forró e economia solidária

Sem categoria
23 de julho de 2011
por Genilson Coutinho

A programação de ontem (22), no Pelourinho, começou cedo. Desde as 10h, a Feira de Artes e Artesanato Kitaanda Bantu já estava de pé e apresentando ao público o artesanato do candomblé e a culinária típica afrobrasileira. Com o propósito de disseminar uma economia solidária e tornar os terreiros autossustentáveis, a feira promoveu, além de conhecimento cultural, muita música e um samba de roda que fez baianos e turistas dançarem até o final do show. “A gente não ouve esse som normalmente, esse lugar é único”, disse a paulista, Camila Cavalcanti.

A feira, realizada pela Associação Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu (ACBANTU),vai até hoje (23), no Largo Tereza Batista sempre a partir das 10h até às 20h. Com o propósito de ressaltar a identidade baiana, o Pelourinho Cultural, programa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult-BA), busca integrar a política de dinamização cultural aos espaços do Centro Histórico através de ações como exposições dos produtos dos terreiros, quilombos e artesãos negros, além de atividades artísticas e culturais, todas promovidas pelaFeira Kitaanda Bantu.

Quem quis continuar curtindo a noite no Pelô, teve uma hora para descansar, pois às 21hcomeçaram os shows de Malu Soares, no Largo Pedro Archanjo, e Trio Xote Nordestino, no Largo Quincas Berro d’Água. Malu trouxe na bagagem músicas de João Nogueira, Vanessa da Mata, Alcione e Maria Rita e afirmou que o Centro Histórico é o único lugar onde ainda se pode brincar com o repertório pela diversidade do público. “A verdadeira mistura da Bahia acontece aqui, de segunda a segunda”, concluiu a cantora.

Enquanto os apaixonados por samba deixavam as mesas vazias para dançar ao som de Malu Soares, no Largo Quincas Berro d’Água, o Trio Xote Nordestino fez um casal gaúcho arriscar o “dois para lá, dois para cá”. “É difícil, mas a gente tenta mesmo assim. O lugar e o ritmo não deixam a gente parado”, disse Leonardo Nunes.

Foto: Genilson Coutinho