Pelo segundo ano no carnaval de Salvador, grupo se apresentará nesta quinta-feira (8), Circuito Barra-Ondina.

Música, No Circuito
6 de fevereiro de 2018
por Genilson Coutinho

Uma celebração da alegria da axé music, reconhecendo a diversidade de nossa cultura num passeio pela riqueza do caldeirão musical baiano. É o que promete a Bandana, herdeira dessa musicalidade, que se apresenta pela segunda vez no carnaval de Salvador, nesta quinta-feira, dia 08 de fevereiro, às 23h, no Circuito Barra-Ondina.  O público que acompanhar o desfile da BANDANA vai reviver canções da história do ritmo baiano, bem como músicas atuais.

Para os integrantes do grupo, a palavra AXÉ MUSIC fala por si, ao demarcar o encontro de culturas e referenciais que transitam entre o local e o global. O grupo nasce em 2003, na cidade de Salvador-Bahia, com o desejo de dar continuidade à altivez da Axé Music baiana, que tem uma heterogeneidade imensa, tais como: Ivete Sangalo com seu swing frenético, Timbalada e o seu som tribal, Olodum com seu afro-reggae, dentre outros. Os meninos da BANDANA tocam o que eles sempre gostaram de ouvir, e que influenciou muito ­ musicalidade de cada componente. A principal reverência é feita ao Chiclete com Banana, principal influência dos artistas.

Eles são fãs declarados dos “caras”, e assim como tantos outros artistas que passaram por algum tipo de comparação na sua carreira, eles vão conquistando seu espaço. Como diz o vocalista e líder da banda, Michel Firmo: “Me sinto bem com essas comparações e isso não me preocupa e tampouco atrapalha nosso trabalho; ocorre justamente o contrário: Muitos artistas que foram comparados com seus ídolos, hoje dividem público e até já dividiram o mesmo palco com eles, tais como: Dominguinhos e Luiz Gonzaga, Claudinha Leite e Ivete Sangalo, Jorge Vercilo e Djavan, Marcelo Nova e Raul Seixas, Britney Spears e Madonna e Maria Rita e Elis Regina (inevitável), e até a BANDANA e o Chiclete Com Banana, que em uma Micareta em Teresina no Piauí, tiveram a honra de tocar juntos… e tantos outros nomes desse universo musical infinitamente grande”.