Parada Gay de São Paulo tem novo presidente

Sem categoria
6 de outubro de 2011
por Genilson Coutinho

A atual gestão segue em vigor até o segundo semestre de 2014

Faltando poucos dias para completar seu primeiro ano de mandato no comando da maior parada gay do Brasil, o presidente da  Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBT), Ideraldo Beltrame renunciou ao cargo,  segundo ele por questões  políticas entre a mesma diretoria eleita com ele em 2010. Um ponto relevante nessa divergência é a mudança no estatuto  Social da APOGLBT. O mandato é assumido pelo então vice-presidente, Fernando Quaresma de Azevedo.

A eleição de ex-presidente, Ideraldo Beltrame,  em  outubro de 2010 foi muito confusa, sendo  necessário a presença da policial para garantir a continuidade do processo eleitoral.

Em nota enviada à imprensa nesta quarta-feira (5), a Associação esclarece que a saída do presidente  não vai alterar o funcionamento da entidade e nem seus objetivos. Na mensagem, Ideraldo diz que  deixa a presidência “por motivos de divergências políticas e institucionais insanáveis com a ampla maioria de sua diretoria”.

Confira a nota oficial

Nota de esclarecimento sobre a renúncia de Ideraldo Beltrame à presidência da APOGLBT

A Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBT) comunica que Ideraldo Luiz Beltrame deixa de exercer a função de presidente na atual gestão da entidade, conforme pedido de renúncia protocolado pelo próprio na última segunda-feira, dia 3 de outubro de 2011. A partir desta data, de acordo com o regimento do Estatuto Social da APOGLBT, o mandato é assumido pelo então vice-presidente, Fernando Quaresma de Azevedo.

 A diretoria foi eleita em Assembleia Extraordinária no dia 7 de outubro de 2010, para gerenciar a Associação durante os quatro anos seguintes. Com a renúncia de Ideraldo, a composição do quadro de diretores da APOGLBT fica configurada com Fernando Quaresma na presidência, Marcos Freire na tesouraria, Greta Silveira (Gretta Starr) como suplente de tesoureiro, David Borges na secretaria e Claudia Regina Garcia como suplente de secretário.

A alteração na composição da presidência da entidade não modifica os principais objetivos propostos pela chapa eleita, sendo eles aqui reforçados:

– a captação de recursos através de um plano coordenado a fim de adquirir uma sede própria para APOGLBT;

– desenvolver uma metodologia de transparência pública da gestão;

– fortalecer as ações de pesquisa, de desenvolvimento cultural, de visibilidade do movimento e de defesa das demandas e causas de LGBT;

– resgatar ideais políticos, de luta e representação dos LGBT sem perder de vista a evolução do movimento e conquistas da Associação;

– potencializar os resultados sociais, culturais e de sustentabilidade, pela cidadania plena e igualdade social.

Ao longo de seus 12 anos de existência, a APOGLBT tem se firmado como uma legítima representante do movimento LGBT brasileiro em nível internacional. A Parada do Orgulho LGBT de São Paulo se fortalece como o cartão postal da democracia do país, ao receber de forma igualitária tod@s @s manifestantes de diferentes gêneros, orientações sexuais, identidades de gênero, raças, etnias, nacionalidades, idades, credos, classes sociais, partidarismos ou ideologias políticas.

Com base neste princípio democrático, o organograma da entidade deve ser constituído por excelência com representantes dos mais diferentes aspectos sociais significativos para a população LGBT, refletindo essa diversidade na condução de sua administração e organização das atividades. E assim vem sendo executado desde a posse da atual gestão, com deliberações consultivas e abertura para colaborações plurais, acolhendo e considerando uma vasta gama de opiniões, interna e externamente.

Sendo assim, os membros remanescentes respeitam a decisão de Ideraldo Beltrame, que justificou sua renúncia ao cargo de presidente da Associação “por motivos de divergências políticas e institucionais insanáveis com a ampla maioria de sua diretoria”. Porém, o coletivo deseja registrar que a existência do debate, do questionamento e do espaço para vozes discordantes se faz necessária para o exercício de um processo democrático em sua magnitude, principalmente quando o ideal é atingir um pensamento consonante que reflita amplamente as necessidades de uma população.

A partir deste comunicado, dar-se-á continuidade ao processo de renomeação da presidência para referendar a posse de Fernando Quaresma. O Estatuto Social da APOGLBT prevê para este procedimento a convocação de uma Assembleia Extraordinária no prazo de até 60 dias contados desde a data da entrega do protocolo de renúncia. Assim que definido, o edital será noticiado através do site da APOGLBT, fixado na sede da entidade e divulgado por meio de sua assessoria de comunicação com até 15 dias de antecedência.

 

 

Atenciosamente,

Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo

São Paulo, 5 de outubro de 2011.