Os cuidados com a alimentação das festas juninas

Gastronomia, Serviços
22 de junho de 2015
por Genilson Coutinho
Amendoim, o grande vilão da intoxicação alimentar. Crédito: Divulgação

Amendoim, o grande vilão da intoxicação alimentar. Crédito: Divulgação

São João e as festas juninas são sinônimos de comidas gostosas e muitos quitutes como amendoim, pé de moleque, milho, bolos e canjicas. Mas para garantir que essas delícias não se tornem um problema, é preciso tomar alguns cuidados na hora de comprar e preparar os alimentos.

Os grandes vilões das temidas intoxicações alimentares, principalmente em crianças, são o amendoim e o milho. Muito consumidos nesta época do ano, eles podem apresentar fungos que causam alergias. Entre os sintomas mais comuns são coceira e vermelhidão na pele, formigamento ao redor da boca, diarreia, náusea, vômitos e dificuldades para respirar (este em casos mais graves de intoxicação).

A nutricionista e gerente de Relações com o Mercado, Elisa Goulart, alerta para os cuidados na hora de consumir os pratos. “Para evitar a contaminação alimentar, é importante verificar em produtos industrializados a validade e integridade da embalagem. Já nos quitutes feitos em casa, é preciso observar a higiene do local, a aparência da comida e a limpeza de quem serve o alimento. Além disso, os alimentos devem ficar cobertos para evitar que bactérias se alojem, tentar sempre preparar os pratos no mesmo dia de consumo e conservá-los em temperatura ideal”, destaca.

Crianças e idosos precisam de um cuidado redobrado. Para eles, a intoxicação pode ser perigosa. “No adulto, a infecção leva de dois a três dias, na criança, quando começa a diarreia e o vômito ela não consegue se alimentar, aumentando o risco de desidratação. A mesma coisa ocorre com os idosos”, acrescenta Elisa.

Atentos à qualidade dos alimentos que serão servidos, a festa junina está garantida. A única preocupação será com a fogueira e os passos da quadrilha.