#Opinião Mama Mia : Lá Vamos Nós de Novo… Eis o novo Grease 2…

Cinema, No Circuito
1 de agosto de 2018
por Genilson Coutinho

onathan Prime/Universal Studios

Por Filipe Harpo 

O primeiro Mama Mia, de 2008, nasceu como uma aposta de sucesso. Originado do musical teatral londrino mais rentável da história (2 bilhões de dólares mundialmente), tinha no elenco nomes de peso, todos os hits do ABBA, produção de Tom Hanks, supervisão de Benny Andersson e Björn Ulvaeus, integrantes do quarteto e nada mais que Meryl Streep como protagonista. Prestígio no teatro, caminho idêntico nos cinemas: Mama Mia, o filme, arrecadou no mundo inteiro 600 milhões de dólares. Como em Hollywwod nada se cria, tudo se copia… Inventaram de fazer uma sequência musical, com o resto dos… “hits” que sobraram do quarteto sueco. O público se perguntava “Pra que?!”, o trailer saiu e o fiapo de história foi divulgado, ainda tinha Cher no balaio e Meryl não mais como nome cabeça do elenco… O resultado: Mais uma vez, a produção musical de Tom Hanks confirma expectativas: Mama Mia: Lá Vamos Nós de Novo… é a BOMBA do ano!…

 

 

O longa chega as telas nesta quinta-feira (2)

Há uma sucessão de pontos estranhos no filme: 1) a história de Donna (Meryl Streep) e seus três namorados já foi contada no primeiro filme. Superficial, mas JÁ FOI CONTADA. Por que visitar isso mais uma vez? 2) as músicas lado B do ABBA são suficiente para sustentar um novo filme? A resposta é: Não! O roteiro se vê desesperado em fazer a trama se adequar as músicas e não as melodias à trama. 3) Revisam 3 canções do primeiro filme, provando que os roteiristas sabiam do fator n 2! 4) O melhor número musical do filme é justamente uma IMITAÇÃO do melhor número do primeiro filme: Dancing Queen. 5) Cher… ok, ela é diva, ganhou Oscar, Globo de Ouro, dona da porra toda, mas… Ela fez esse filme para pagar a próxima plástica, só pode!… A atriz consegue estragar Fernando uma dos clássicos do grupo!!! 6) O texto é péssimo. E o pior, o elenco sabe que está dizendo algo ruim e parece envergonhado de estar ali.

Pontos positivos? Dando uma de Pollyanna dá para extrair coisas boas aqui e ali. O humor é ponto alto do filme, o elenco tem time, então as piadas regulares passam como boas. Alguns números musicais são bonitos e bem orquestrados. O elenco maduro é ótimo. Já o jovem é… bonito e afinado! Cinematograficamente o filme é uma propaganda de manteiga gigante: tudo é muito bonito, bem iluminado, bem fotografado e quase tudo feito em estúdio!…

Mama Mia, Lá Vamos Nós de Novo não foi tão ruim quanto eu pensava. Me surpreendi com algumas coisas. O numero final de Meryl Streep é simplesmente lindo, me levou as lágrimas e valeu a ida ao cinema. E sempre que Amanda Seyfried canta o filme se ilumina. Mas as músicas, diferentes do primeiro filme, não sustentam essa “nova”  história. Não entendi canções como Summer Night City e If It Wasn’t For The Nights, do álbum Voule Vouz , da época disco da banda, não estarem no filme, já que ele é muito usado na produção. Mama Mia: Lá Vamos Nós de Novo está hoje como Greese 2 foi para os anos 80… Deixe para ver em casa. Serviço de streaming está aí pra isso…

Filipe Harpo é diretor da SOUDESSA Cia de Teatro, historiador pela UNEB, realizador audiovisual pelo Projeto Cine Arts – UNEB – PROEX e apaixonado por cinema.