Opinião: Condenados expõe feridas da homofobia em variados níveis

Slider
31 de julho de 2017
por Genilson Coutinho

Eu já conhecia, ou achava que conhecia, o texto para Condenados – espetáculo da SouDessa Cia de Teatro – escrito e dirigido por Filipe Harpo. No elenco Taric Marins (Grupo musical Banda de Boca; Espetáculos: Besame Mucho, Mar Morto) e o ator Bruno Roma (Gota D´água, Transmetropolis, A Comida de Nzinga), interpretam 20 personagens e suas relações com suas próprias sexualidades e as dos outros.

Homofobia é o prato principal da montagem, e o mais importante, colocado à mesa sob um conceito de confronto, onde o ataque é a melhor defesa. A relação familiar, os laços de amizade e os desejos amorosos são pano de fundo para escancarar o preconceito como uma doença social não somente fora, mas dentro da comunidade LGBT+.

Opinião: Sobre o “caralho” de Ney Matogrosso

O diretor não se justifica e assume o papel “panfletário” do seu trabalho. Filipe trouxe ao palco, além das brigas – que abusam da realidade – dois excelentes jovens atores que dão o sangue, para deixar a plateia literalmente num ringue de emoções, no melhor estilo teatro de arena.

Impossível ser gay e não se emocionar ou, ao mesmo tempo, estranhar a reação do público, principalmente os que chegam meio desavisados. A energia imposta por Taric aos seus personagens, aliada a precisão da interpretação de Bruno, faz uma dobradinha honesta e intensa. Mas o texto não se priva de criticar também a comunidade gay, de problematizar suas características e preconceitos.

Situação que origina um dos momentos de destaque na apresentação e que merece nossa maior atenção!

Curta Temporada

Com essa temporada de Condenados, que estreou no Espaço Xisto nos Barris e segue em curta temporada no Centro Cultural da Plataforma, Filipe Harpo mostra sua maturidade e crescimento, principalmente ao incorporar atores, disciplinados e críveis, com formação teatral à sua Cia.

Mais do que questionar se devemos ou não revidar a violência provocada pela homofobia na mesma moeda, Condenados é um espelho refletindo os desdobramentos do preconceito e sua essência perversa. Não apenas nos coloca de frente para ela, mas questiona suas origens, bem como suas consequências.

Se você é maior de 18 anos, vale a pena ir ao Centro Cultural Plataforma (Praça São Braz, s/n – Plataforma) nos dias 04 e 05 de agosto, às 19h e conferir Condenados. Os ingressos custam R$ 10,00 (meia) e 20,00 (inteira).

Rafael dos Anjos

Jornalista e especialista em mídias sociais