ONU pede que países deixem de tratar gays e lésbicas como doentes

Notícias
16 de maio de 2016
por Genilson Coutinho

A  Organização das Nações Unidas (ONU) emitiu declaração pedindo que todos os países do mundo deixem de considerar a homossexualidade uma doença.

Na nota divulgada as véspera ao  Dia Mundial Contra a Homofobia celebrado neste terça-feira (17), e solicita que os governos reformem classificações médicas e adotem medidas para prevenir tratamentos forçados a quaisquer pessoas LGBT.

O documento é co-assinado pelo Comitê da ONU sobre os Direitos da Criança, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, a Comissão Africana dos Direitos Humanos e dos Povos e do Comissário para os Direitos Humanos do Conselho da Europa.

“A patologização de adultos e crianças LGBT – apelidando-os de doentes com base na sua orientação sexual, identidade ou expressão de gênero – tem sido, historicamente, e continua a ser, uma das principais causas por trás das violações dos direitos humanos que enfrentam. Ela também é um obstáculo para a superação de atitudes negativas, estereótipos e as múltiplas barreiras para a realização das pessoas LGBT de direitos humanos mais fundamentais”, diz trecho do comunicado.