Oficinas gratuitas e feira de manufaturas e gastronomia abrem Afro Fashion Day

In Moda
19 de novembro de 2015
por Genilson Coutinho

vinha

Bazar

O desfile coletivo que vai acontecer amanhã, às 18h30, na Praça da Cruz Caída (Centro Histórico), é o ponto alto da programação do Afro Fashion Day. Mas o evento começa bem antes, às  15h, com oficinas gratuitas de turbante e maquiagem e uma feira de manufaturas e gastronomia que vai reunir produtos de 18 das 26 marcas que estarão na passarela, além dos quitutes do restaurante Dona Mariquita e do Abará do Original.

No espaço de vendas estarão disponíveis roupas masculinas e femininas, moda praia, bijuterias, bolsas, calçados e até turbantes. Participam da feira as marcas Afreeka, Aládio Marques, By Aninha Acessórios, Carol Barreto, Com Amor, Dora, Crioula, Dresscoração, Goya Lopes, Jeferson Ribeiro, Ju Fonseca, Katuka Africanidades, La Abuela, N Black, Negrif, Ori Turbantes, Outerelas, Porto de Biquíni e Vinicius Cerqueira -, além das camisetas do Instituto Comvida. A maioria das compras  poderá  ser feita em dinheiro, cartão de crédito e débito.

Peças da Crioula estarão à venda partir de R$ 55. “As camisas têm o maior destaque. As estampas são criadas por diversos ilustradores que reproduzem, de acordo com o seu traço artístico, os conceitos da marca”, explica o designer Alex Bispo. A marca de acessórios Outerelas vai levar colares, brincos, pulseiras e bolsas. Os preços começam em R$ 15. “São peças exclusivas, confeccionadas para o Afro Fashion Day”, revela a designer Paula Outerelo.

Sungas de R$ 79 a R$ 169 estarão no espaço de Jeferson Ribeiro. “Transformei fotos que tirei em viagem em prints para a marca Mar, que acabo de lançar”, conta o estilista, que também vai apresentar sua primeira linha de sandálias femininas em couro (R$ 159). A Porto Biquíni completa o mix de moda praia com itens femininos. “São lenços, chapéus, bijuterias e bolsas, além dos biquínis, que se adequam aos diferentes biótipos”, assegura a estilista Taís Alves. As duas peças vão custar de R$ 88 a R$ 116.

Gastronomia

Além das manufaturas, uma área reservada à gastronomia vai levar comida baiana aos participantes do evento. O Abará do Original e o restaurante Dona Mariquita vão oferecer quitutes de R$ 2 a R$ 7. Com sua bicicleta que carrega o tabuleiro e seu figurino afro, Edgar, o Original, é figura carimbada na pracinha do Imbuí,  de quarta a domingo. No Dia da Consciência Negra, vai vender seus mais de 28 sabores de abará a partir de R$ 7. Para manter a tradição, a iguaria será servida como, segundo ele, é feita na África: fechado e com as opções misturadas na massa. “Eu mantenho a tradição, com feijão fradinho e cebola. Meu diferencial é o tempero”, garante.

Localizado no Rio Vermelho, o Dona Mariquita vai preencher seu espaço na Praça da Cruz Caída com as chamadas “merendas de tabuleiro”, com valores variando de R$ 2 a R$ 6. “Estaremos em um ambiente e universo de representatividade homenageando nossos ancestrais e esperamos levar o melhor da nossa comida para o público que vai nos prestigiar”, conta Leila Carneiro, idealizadora do restaurante.

Leila Carneiro, do restaurante Dona Mariquita: merendas de tabuleiro (Foto: Angeluci Figueiredo/CORREIO)

O Afro Fashion Day é uma realização do CORREIO com apoio institucional da prefeitura de Salvador, do governo do estado, através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), do Senac-BA e do Hapvida. O evento, com entrada franca, começa às 15h e segue até as 21h. O desfile será às 18h30.

Afro Fashion day

15h Oficinas gratuitas de maquiagem e turbante, cada uma com 40 vagas. Inscrições no local

15h às 21h  Feira de manufaturas e gastronomia

18h30  Desfile coletivo

Local  Praça da Cruz Caída (Pelourinho), das 15h às 21h, entrada franca