Oficinas de Produção Cultural e Criação Dramatúrgica abrem inscrições gratuitas em Salvador

No Circuito, Teatro
23 de abril de 2018
por Genilson Coutinho

Em continuidade às ações do Projeto Abrigo e Morada – Ano II, o Grupo de Teatro Finos Trapos abre inscrições para oficinas gratuitas. Nesta etapa da ação, ‘Ô de casa, ô de fora’, será realizada a oficina O Avesso da Cena-Produção e Gestão Cultural, ministrada pelo administrador, produtor e gestor cultural Rômulo Avelar (MG) e a oficina O Espaço Cênico e Criação Dramatúrgica na Cena Contemporânea,  ministrada pela atriz, professora e dramaturga Antonia Pereira Bezerra (BA).   Os interessados poderão se inscrever no período de 23 de abril a 02 de maio 2018, através do site: www.grupofinostrapos.com.br. As oficinas terão a carga-horária de 16h/aula, com emissão de certificado e serão realizadas na CAS – Casa de Artes Sustentáveis. A publicação do resultado dos selecionados ocorrerá no dia 03 de maio no site do grupo.

 A oficina O Avesso da Cena-Produção e Gestão Cultural, os participantes terão acesso a informações fundamentais acerca de realização de projetos culturais e de gestão de grupos artísticos e entidades constituídas como produtoras, visando proporcionar melhores compreensões do papel do produtor e da gestão cultural, além de abordar as diversas fases de um projeto (pré-produção, produção e pós- produção).  O ministrante Rômulo Avelar é conhecido nacionalmente pelo seu trabalho junto ao Grupo Galpão de Teatro (MG) e pelo seu livro, publicado em 2014, O avesso da cena: notas sobre produção e gestão cultural.  A oficina será realizada nos dias 04 a 06 de maio (sexta das 19:00 às 22:00, sábado das 10:00 às 18:00 e no domingo das 09:00 às 13:00).

 Tendo como público mais específico dramaturgos, estudantes de artes e letras, artistas e encenadores a oficina O Espaço Cênico e Criação Dramatúrgica na Cena Contemporânea propõe investigar as relações entre arquitetura teatral e espaços alternativos e a dramaturgia, trançando um panorama das principais modificações nos modelos de edifícios teatrais no decorrer da história e de como estas influenciaram a escrita cênica contemporânea. A ministrante Antonia Pereira atualmente é professora Associada III da Universidade Federal da Bahia integra os Grupos de Pesquisa DRAMATIS e GIPE-CIT e Coordena a Área de Artes/Música na CAPES. A oficina será realizada nos dias 11 a 13 de maio (sexta das 19:00 às 22:00, sábado das 10:00 às 18:00 e no domingo das 09:00 às 13:00.)

 “Quando pesamos na formulação e execução de um projeto com essa natureza, lançamos o nosso olhar para as coisas que acreditamos, e, que de uma forma ou outra possam contribuir um pouco para as questões técnicas, tanto de criação artística quando de noções do caminho da construção e até as burocráticas que sempre estão ao redor de nosso labor. Salvador por si só é uma cidade de muitos artistas inventores, com reconhecidos talentos, tudo que vier será de grande valia. Se a iniciativa for através dos próprios artistas, e sendo nós um Grupo de Teatro, acredito que seja um ponto que fortalece e faz surgir novas visões de aprendizado, e, por conseguinte um olhar para o mercado”, declara Frank Magalhães, integrante do grupo.     O projeto visa fortalecimento da cadeia produtiva das artes cênicas na cidade de Salvador, criando espaços de formação dos profissionais dessas artes, em diversos segmentos, tais como canto, maquiagem, produção e dramaturgia. No primeiro ciclo de oficinas que ocorreu em março o projeto atendeu 40 artistas. Nesta segunda etapa, será atendido 40 pessoas na oficina de produção e 10 na oficina de dramaturgia.

 O Projeto Abrigo e Morada – ano II é uma proposta de manutenção continuada que foi contemplada no Edital de Apoio a Grupos e Coletivos Culturais 2016, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. As atividades serão resultantes de uma rotina de trabalho e dialogarão diretamente com as ações desenvolvidas pelo Grupo que completará  15 anos no mês de junho desse ano. Compõe o projeto, oficinas artísticas, estreia de espetáculos, seminário e lançamento de livros.

 Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br

 Serviço:

 O quê:  Oficina: O Avesso da Cena-Produção e Gestão Cultural, com Rômulo Avelar (MG)

O quê:  Oficina: O Espaço Cênico e Criação Dramatúrgica na cena Contemporânea,  Antonia Pereira Bezerra (BA)

Inscrições: de 23 de abril a 02 de maio 2018

Onde: CAS – Casa de Artes Sustentáveis (Rua Democrata 21, Dois de Julho)