Música

No Circuito

O universo gamer encontra sonoridades da Bahia em “Hard”, segundo single da soteropolitana Nêssa

Genilson Coutinho,
25/03/2018 | 22h03

Foto: Natan Fox e Maiara Cerqueira/Divulgação

Um dos nomes em ascensão na cena musical independente de Salvador, Nêssa lançou  seu segundo single, “Hard”, nesta sexta-feira (23). A canção, que conecta baianidades e música 8-bit, integra sensualidade e expressões do mundo gamer.
Produzida por Markinhos Lima, “Hard” passeia entre ritmos brasileiros, mesclando tradicionalidade e o frescor da cena pop nacional. De ritmo influenciado pelo funk melody carioca, a música se desenvolve com elementos acústicos do pagode soteropolitano -como surdo, bacurinha, conga, entre outros – permeados por efeitos clássicos do pop e batidas 8-bit da chipmusic.
Brincando com os múltiplos sentidos da palavra “jogo”, Nêssa incorpora expressões do vocabulário gamer – como “jogabilidade”, “missão”, “vamos zerar”, etc. – a um cenário de atração e sedução. A paixão pelos jogos começou na infância, quando o pai a levava a casas de fliperama para jogar. “Meu primeiro contato com videogame foi o Supernintendo”, relembra. A escolha de palavras não é apenas uma brincadeira. Nêssa quer mostrar que “mulher também entende de videogame”.
Assista o lyric vídeo de “Hard”:

Mulheres e games
Impulsionada pela influência gamer, no dia internacional da mulher, 8 de março, a artista fez uma série de posts que questionam a representatividade feminina nos jogos eletrônicos. Através de depoimentos de amigas gamers, Nêssa chama atenção para a sexualização de personagens mulheres, bem como a falta de pluralidade de corpos. “A falta de representatividade é gritante. Não temos protagonistas negras, não temos protagonistas gordas, indígenas e por aí vai”, ressalta.
Nêssa
Cantora, compositora, designer e ilustradora soteropolitana, Nêssa é um dos nomes mais frescos na música pop independente. Com estética pop e tropical, Nêssa estreou com o single “Só Vem”. Destacou-se na noite de Salvador fazendo participações em shows de bandas locais além de apresentações solo. Nesse ano, prepara-se para trabalhar diferentes singles autorais ao longo dos meses, adotando uma estratégia atual e sintonizada com o público.