O novo momento da UNE com o debate LGBT

Sem categoria
27 de julho de 2011
por Genilson Coutinho

A UNE neste 52° Congresso de Estudantes conseguiu cumprir o desafio de colocar o debate LGBT em destaque na sua pauta política. Com alguns anos de diretoria LGBT na entidade a pauta da diversidade sexual e a educação nunca foram centrais, tanto pelo preconceito institucional que o seguimento historicamente presenciou, quanto pela falta de prioridade nas ações e estratégias.  Apesar dos embates e dos esforços para serem realizados debates sobre a luta contra a homofobia, a União Nacional dos Estudantes conseguiu avançar ao fazer dois dias de intensos debates, sendo o primeiro dia interrompido por uma manifestação de militantes da Oposição de Esquerda que não respeitaram o espaço, exemplo nítido de sectarismo. Mesmo com todos os entraves, conseguimos tirar uma linha política para a próxima Diretoria LGBT, marco histórico do movimento que em sua historia deixava a desejar neste debate.

O Movimento LGBT aliado ao Movimento Estudantil percebeu que o combate a homofobia não deve acontecer isoladamente, mas aliado ao combate ao racismo, ao machismo e ao Capitalismo, que acirra o aumento das desigualdades, com a produção de modelos e padrões heteronormativos e que apenas enxerga os LGBTs como potencial publico consumidor.

Entretanto temos muito que avançar, é fundamental que o movimento estudantil esteja de fato apropriado deste debate e a UNE como principal porta-voz dos estudantes tem o dever de disseminar esta luta entre a juventude e a sociedade brasileira como um todo. Além disso, é necessário que a UNE se posicione quanto aos casos freqüentes de homofobia na sociedade, principalmente no âmbito educacional e que combata a opressões desde a Direção Executiva até a base dos estudantes, para que possamos ter uma UNE com a cara dos estudantes, com a cara do Brasil!
Diego Marinho
Coordenador de Assuntos Academicos DAHS
Militante do Ousar Ser Diferente
Membro da Rede Afro LGBT