0 ator Rodrigo Andrade torce pelo beijo de Eduardo e Hugo

Sem categoria
14 de julho de 2011
por Genilson Coutinho

A edição nº 47 da revista A Capa está especialíssima. O ator Rodrigo Andrade, que interpreta o gay Eduardo na novela “Insensato Coração”, é capa e recheio da publicação, que começa a ser distribuída gratuitamente nesta sexta-feira (15).

À revista, Rodrigo contou que torce por um beijo entre Eduardo e Hugo (Marcos Damigo) na trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. “Gostaria de quebrar esse tabu, de entrar para a história da Globo. Mas isso não depende de mim nem mesmo dos atores, depende da alta cúpula da emissora. Independente de ter ou não um beijo, Eduardo e Hugo já mostram que muita coisa pode mudar, que as pessoas podem ser felizes, constituir família, enfim, viver bem, e dizer que é uma hipocrisia todo esse preconceito”, falou o ator.

Quem também conversou com a revista foi o autor de “Amor e Revolução”, Tiago Santiago, que comentou a polêmica do beijo lésbico entre as atrizes Luciana Vendramini e Giselle Tigre. Para o novelista, a cena pode obrigar outras emissoras a repensar a importância do beijo gay. “Foi um impulso. Acredito que cada passo dado adiante deve ser comemorado. Gilberto Braga, Ricardo Linhares e Gloria Perez são companheiros nessa luta para que este tema da homossexualidade seja visto cada vez mais com maior aceitação”, disse Santiago.

Confira trechos da entrevista.


Homofobia –
“A discussão em torno do Eduardo é importante por dois motivos: diminuir a homofobia e dar um tapa com luva de pelica na cara de muita gente que se diz “machão”. Essa homofobia tem a ver com o sentimento de não aceitação. O Eduardo veio para dizer que é OK você ser gay nos dias de hoje…”

Beijo gay –
“Gostaria de quebrar esse tabu, de entrar para a história da Globo. Mas isso não depende de mim nem mesmo dos atores, depende da alta cúpula da emissora. Independente de ter ou não um beijo, Eduardo e Hugo já mostram que muita coisa pode mudar, que as pessoas podem ser felizes, constituir família, enfim, viver bem, e dizer que é uma hipocrisia todo esse preconceito.”

Estigma – “Sei da qualidade do meu trabalho e não tenho medo das críticas. Quero que as pessoas confundam mesmo, quero ter a oportunidade de interpretar um vilão e apanhar no meio da rua. Quero fazer um psicopata e quero que as pessoas achem que sou louco… Acho que tudo isso é resultado de um bom trabalho. Estou me jogando o máximo possível, estou abraçando a causa.”
Foto: Acapa

Foto: divulgação