Notícias

No Dia da Visibilidade Trans, vereador Marcos Mendes homenageia a travesti Xan Marçall batizando projeto de lei em seu nome

Redação,
29/01/2020 | 17h01

O projeto de Lei n.º 168/2019 batizado de Xan Marçall, foi criado para garantir que a população trans tenha o direito de acessar, de acordo com sua identidade de gênero, os banheiros e demais espaços de uso público que são segregados por gênero no Município de Salvador. O projeto homenageia a travesti Xan Marçall, professora de teatro, arte-educadora, pesquisadora do NUCUS UFBA e uma das fundadoras do coletivo das Liliths em Salvador.

Em 28 de junho de 2019, Xan foi impedida de usar o banheiro feminino dentro da Câmara Municipal de Salvador mesmo sendo durante a sessão especial que celebrou os 50 anos da Revolta do Stonewall, proposta pelo Mandato Coletivo Ecossocialista Bem Viver do Vereador Marcos Mendes (PSOL).

A população trans continua tendo que lutar para ser, para existir! Nem o direito de fazer xixi com privacidade é respeitado. É preciso mexer nas estruturas que violam direitos e subtraem vidas. É preciso destruir o Cis-tema Transfóbico, capitalista, racista, misógino, machista que lhes extermina. É preciso gente, é preciso povo, é preciso diversidade. É necessário movimento. É preciso união e reconhecimento por quem lutou e luta. Por isso, o Mandato Ecossocialista faz essa homenagem em forma de denúncia às violações de direitos contra a população trans e travestis.

Este Projeto de Lei de autoria do Mandato Ecossocialista também visa combater os casos de violência física e psicológica contra a pessoas trans e travestis, que ocorrem com frequência dentro dos banheiros de uso público, quando sob forte humilhação lhes coagem a sair do banheiro que estão ou lhes forçam a usar aquele que não corresponde com sua identidade de gênero.

Precisamos pressionar os parlamentares a aprovarem esse Projeto Lei, para isso é imprescindível o apoio dos movimentos sociais, coletivos LGBTQIA+ e toda sociedade civil que acredita que só um ambiente equânime é justo e saudável para a convivência humana. Só a luta muda a vida.