Natura promove roda de samba com Emicida no encerramento da SPFW

In Moda
17 de março de 2017
por Genilson Coutinho

Uma roda de samba puxada por Emicida, com participações de Xênia França, Rodrigo Campos e Rael, encerra a programação da SPFWN43 na sexta-feira (dia 17) às 21h, na Praça Natura, após o desfile da LAB, marca do rapper e seu irmão, Fióti. O pocket-show contará também com a participação do sambista Wilson das Neves, considerado um dos maiores bateristas do Brasil, que será homenageado pela grife durante o desfile.

Emicida, Rael e Rodrigo Campos tiveram seus últimos discos lançados em parceria com o Natura Musical, programa de valorização da música brasileira que já apoiou mais de 300 projetos em 12 anos. Xênia França, vocalista da banda Aláfia, se prepara para lançar seu primeiro trabalho solo também pelo programa, que lança em média 20 discos por ano.

O show inédito faz parte da programação cultural diária que a Natura promove nesta edição da SPFW. “A Natura acredita que a moda e a música são expressões culturais que potencializam a identidade dos indivíduos de maneira criativa. Assim como a música, moda é arte, é espetáculo, cultura e também educa”, diz , vice-presidente de marketing da Natura.

O espaço da Natura na SPFW conta com cenografia do arquiteto Maurício Arruda (apresentador do programa “Decora”, do GNT) e bancada de maquiagem para experimentação da linha Aquarela. Entre os temas discutidos na SPFW, bate-papos sobre sororidade, boom da preocupação com estética, apropriação cultural, uso de ativos brasileiros na moda e beleza e street style.

O Samba e a coleção

Após sua estreia nas passarelas, a LAB, marca dos irmãos Emicida e Fióti traz para a semana de moda sua Herança: o Samba.  No sentido figurado, Herança é algo que se recebe dos pais, tradição, legado. Mas para Emicida e Fióti, o bem maior que lhes foi dado é imaterial: é o samba.

Nascidos e criados na Zona Norte de São Paulo, os irmãos tiveram o ritmo como trilha sonora de sua infância e amadurecimento. Do samba, que tanto admiram, foram influenciados não só pelo ritmo e a poesia que carregam em suas canções, mas também por seus signos e personagens.

São esses símbolos que estarão na passarela, na coleção com direção criativa de João Pimenta. “O samba tem o poder de nos unir em torno da alegria e celebração. Nos acolhe na tristeza e na resignação, mas nos traz de volta para a realidade com as esperanças renovadas. Prontos para enfrentar um novo ciclo com todas as dificuldades, belezas e alegrias que só ele é capaz de alimentar e expressar. É isso que queremos trazer com essa coleção: uma forma de adaptação do estilo que tanto nos marcou para os dias atuais”, conta Emicida.