Natura Musical oferece álbuns presentes nas listas dos melhores de 2015 para download ou streaming

Música, No Circuito
26 de janeiro de 2016
por Genilson Coutinho

Ouça os discos e conheça os novos nomes do elenco Natura Musical para 2016

A unamidade A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares, e álbuns como TransmutAção, de BNegão e Seletores de Frequência, Conversas de Toshiro, de Rodrigo Campos, e Canção e Silêncio, de Zé Manoel, presentes em várias listas de melhores do ano elaboradas pela imprensa e blogs especializados estão disponíveis para audição em streaming ou download no portal Natura Musical (www.naturamusical.com.br):

A Mulher do Fim do Mundo, Elza Soares – streaming

TransmutAção, BNegão e Seletores de Frequência – streaming e download

Larissa Luz – streaming e download – streaming e download

Conversas de Toshiro, Rodrigo Campos – streaming e download no site do artista

Canção e Silêncio, Zé Manoel – streaming e download

Corpura, Aláfia – streaming

Tomada, de Filipe Catto – streaming

Leve Embora, Thiago Ramil – streaming e download no site do artista

Mamãe Quero Ser Pop. Strobo – streaming

Em 2015, os editais Natura Musical nacional e regionais, nos Estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Pará, receberam 1742 inscrições. O programa de renovação e preservação da música brasileira criado em 2005 pela empresa de cosméticos Natura vai investir R$ 5,8 milhões, com apoio das leis de incentivo Rouanet e do Audiovisual, em nível nacional, e da Lei do ICMS nos Estados, em 31 projetos, para a gravação de álbuns, DVDs, realização de turnês, publicação de livros ou acervos.

Com uma trajetória de mais de 300 projetos patrocinados de preservação e legado, novas apostas e artistas consagrados, o programa se consolidou como plataforma de renovação da música brasileira e a cada edição vem abrindo mais espaço para novos talentos. “Quando criamos o programa, enxergamos a renovação da música brasileira como uma cadeia em que o legado e a projeção que novos artistas têm em relação aos grandes ícones da música brasileira alimentam a nova produção. Dez anos depois, com o crescimento do público para a música brasileira, do volume e da qualidade da produção musical, percebemos que cada vez mais temos que fortalecer o apoio a novos talentos”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.

Participaram da comissão de especialistas, Zuza Homem de Mello, crítico musical; Zé Pedro, DJ e pesquisador; Titane, cantora; Rafael Rocha, jornalista; Luciano Mattos, produtor e radialista; e Edvaldo Souza, produtor cultural. Após ouvirem e analisarem as inscrições, selecionaram 31 projetos:

Luiz Melodia (RJ)

Cantor e compositor, Melodia quer reviver com o disco “Música Romance” o cancioneiro da Jovem Guarda, sobretudo o repertório gravado por Roberto Carlos nos anos sessenta. O álbum terá turnê de lançamento em três cidades.

Cátia de França (PB)

Cantora e compositora paraibana, Cátia pertence ao grupo de nordestinos que nos anos 70 encontrou-se no Rio. Tem cinco discos lançados: No bagaço da cana um Brasil adormecido, de 2012, é seu trabalho mais recente. Baseado nos romances de José Lins do Rego sobre o ciclo da cana de açúcar no Nordeste, todas as canções são orquestradas por um coletivo exclusivamente feminino, o Camerata Arte Mulher. Cátia prepara-se para lançar novo trabalho com shows em cinco capitais.

Movimento BlackRio 40 anos (RJ)

O Movimento Black Rio comemora 40 anos em 2016 e ganha livro dos jornalistas Leo Feijó, Felipe Gaoners, Zé Octávio Sebadelhe e do líder da Banda Black Rio William Magalhães, com fotos e entrevistas inéditas, abordando a história desse fenômeno social.

Patrícia Bastos (AP)

Vencedora do Prêmio da Música Brasileira 2014, Patrícia tem três álbuns gravados, dedicados a ritmos da Amazônia. Seu próximo disco, “Batom Bacaba”, aprofunda sua pesquisa em versões do batuque e do marabaixo. O projeto prevê ainda turnê em quatro cidades.

Almério (PE) – Vencedor por voto popular

Almério, com seu belo timbre vocal e performance provocativa, é mais um talento de Caruaru para o mundo. Vencedor na categoria voto popular do Natura Musical, grava seu segundo álbum, Desempena, com produção de Juliano Holanda, e faz show de lançamento no Recife.

CouttoOrchestra (SE) – Vencedor por voto popular

Originária de Sergipe, a Coutto é o retrato de uma cena pouco conhecida. Vencedora na categoria voto popular do Natura Musical, se prepara para gravar e lançar, com shows em seis cidades, o segundo álbum, Voga, a partir de uma viagem de barco pelo rio São Francisco.

Rael (SP)

Rael vem com um álbum de inéditas produzido por Daniel Ganjaman, com participações de Black Alien e Chico César. O disco, que terá shows de lançamento em três cidades, se propõe a ultrapassar barreiras comuns ao hip hop e transitar pelo reggae, o pop, o dub e o samba.

O Terno (SP)

Powertrio paulistano representante da novíssima música brasileira, O Terno vai gravar seu terceiro álbum e realizar shows de lançamento em três cidades. O trio é formado por Tim Bernardes (guitarra e voz), Guilherme d’Almeida (baixo) e Gabriel Basile (bateria).

Curumin (SP)

O multi-instrumentista, cantor e compositor paulistano se prepara para gravar seu quarto disco, com participação de MCs do rap nacional e internacional. O novo projeto, que inclui shows de lançamento, mantém diálogo com outros gêneros como samba, MPB e funk.

100 Anos de Garoto – O Gênio das Cordas (SP)

Garoto foi o grande modernizador do violão brasileiro, pioneiro da bossa nova e lendário na história do choro. Em seu centenário, nomes consagrados interpretam suas composições, algumas inéditas. O show será apresentado na web com 10 novas partituras de seu acervo.

Acervo Ederaldo Gentil (BA)

Considerado um dos baluartes do samba da Bahia, Ederaldo Gentil tem mais de 200 canções gravadas. Seu acervo será organizado por Luisão Pereira e prevê a remasterização de sua discografia, a criação de um website sobre sua vida e obra e um show em sua homenagem.

Afrobook (BA)

O Afrobook irá mapear, pesquisar e sistematizar as partituras de ritmos afrobaianos, do Ijexá ao samba-reggae, para a publicação de um livro. O mapeamento inédito, desenvolvido pelo Pracatum, servirá como material de apoio ao ensino da cultura de raiz africana.

Giovani Cidreira (BA)

O soteropolitano Giovani Cidreira se prepara para lançar seu primeiro álbum solo, com músicas que tratam de temas existenciais e cotidianos, com influências musicais diversas: MPB, rock dos anos 70 e 80, vanguarda paulista, soul music e música hispano-americana.

I.F.Á Afrobeat (BA)

O I.F.Á. Afrobeat se situa hoje na cena baiana como uma banda instrumental que busca aproximar a cultura afrobeat da sonoridade da música baiana. Além da gravação do CD e prensagem de LPs, o projeto terá show de lançamento no Pelourinho.

Tiganá Santana – Em experimento Áudio & Visual (BA)

Com três álbuns lançados, Tiganá propõe, em DVD e espetáculos, um mergulho numa experiência sensorial com participações do coreógrafo do Balé Folclórico da Bahia e do Bando de Teatro Olodum, Zebrinha.

GEMA (RS)

Um grupo de pesquisadores pretende catalogar a experiência de músicos, mestres, grupos, comunidades tradicionais, ritmos e instrumentos que compõem o universo da música regionalista gaúcha. O projeto fará registros multimídia que serão publicados em um website.

Guri Assis Brasil – Ressaca (RS)

O cantor, compositor, guitarrista e ex-integrante da banda “Pública” prepara seu segundo disco solo, “Ressaca”, que terá três shows de lançamento. Guri pretende resgatar suas origens, mesclando a guitarra roqueira com ritmos como samba, cúmbia e música tradicional gaúcha.

Tonho Crocco – Das Galáxias (RS)

O cantor, compositor e instrumentista é reconhecido por seu trabalho com a banda Ultramen. Seu segundo disco solo, “Das Galáxias”, será acompanhado por uma big band com referências das músicas negras norte-americana e brasileira, e terá shows de lançamento em três cidades.

Projeto CCOMA – Máquina Latino-americana de Ritmo (RS)

O duo instrumental é formado pelo trompetista Roberto Scopel e pelo percussionista Luciano Balen, conhecido como Swami Sagara. A dupla prepara novo disco, que é influenciado pela música de raiz da América do Sul, e fará shows de lançamento em seis cidades.

DVD Sons do Sul – Maestro Tasso Bangel e Camerata Pampeana (RS)

Documentário sobre o trabalho do maestro Tasso Bangel para mostrar a tradição da cultura regional sulina desde que fundou o Conjunto Farroupilha, em 1948, até a criação da Camerata Pampeana. Além do DVD, o projeto prevê shows de lançamento em São Paulo, Pelotas e Porto Alegre.

Saulo Duarte e a Unidade (PA)

O cantor e compositor paraenseSaulo Duarte e sua banda, A Unidade, gravam terceiro disco, que pretende misturar os ritmos do Norte com a nova cena paulista. O projeto conta com shows em três cidades e um workshop de produção musical ministrado por Curumin.

Arraial do Pavulagem – Livro de Músicas (PA)

O Arraial do Pavulagem tem 28 anos de existência e oito discos gravados. O grupo criou uma das manifestações culturais mais importantes da região e pretende avançar para a educação musical, lançando um livro com as partituras de suas músicas.

Arthur Espíndola – DVD (PA)

O compositor, intérprete e multi-instrumentista Arthur Espíndola faz parte da nova geração de artistas paraenses e promove o encontro do samba com ritmos regionais. O que Arthur chama de “Samba Amazônico” permeia o DVD Tá Falado, que terá um show de lançamento.

Dona Onete – Do conto ao canto – os encantos de Dona Onete (PA)

A rainha do carimbó chamegado chega ao auge de sua carreira aos 75 anos. Dona Onete contará sua vida em um documentário com o objetivo de retratar a história e a contribuição da cantora para a cultura nortista.  O documentário será oferecido em DVD e na web.

Félix Robatto – Belemgue Banger (PA)

O guitarrista e percussionista Félix Robatto é pesquisador de música latino-amazônica e produtor. Seu segundo disco solo, Belemgue Banger, reúne música paraense com elementos da guitarrada, surf music, música latina e pop. A turnê de lançamento passará por quatro cidades.

Pinduca (PA)

Aurino Quirino Gonçalves, mais conhecido como Pinduca, é um dos expoentes do carimbó. No auge dos seus 78 anos, Pinduca não lança um disco novo desde 2009. O disco, ainda sem título, será o 34º de sua carreira e o projeto prevê shows de lançamento em três cidades.

Fernando Brant – Vendedor de Sonhos (MG)

Em homenagem aos 70 anos, que o compositor completaria em 2016, será lançado um CD, com regravações interpretadas por artistas consagrados que tiveram forte relação com sua música, como Djavan, Luiz Melodia, Fernanda Takai, e Milton Nascimento.

A música de Gilvan de Oliveira – Songbook (MG)

Violonista, cantor, compositor, professor, arranjador e diretor musical, Gilvan de Oliveira tem sete discos lançados em 45 anos de carreira. Gilvan pretende lançar um songbook, com uma seleção das músicas autorais, registros gráficos musicais e partituras.

Graveola e o Lixo Polifônico (MG)

A banda mineira Graveola e o Lixo Polifônico completa dez anos de estrada com uma sólida rodagem no circuito nacional. Para comemorar, o grupo vai lançar um novo álbum com a produção de Chico Neves e fará turnê por oito cidades.

Juliana Perdigão – Depois que o Nove Virou Seis (MG)

Juliana Perdigão tem formação em música pela Universidade Federal de Minas Gerais, porém se destacou tocando em grupos de choro e ska e traz para sua música um misto de erudito e popular. Seu segundo disco terá produção de Romulo Fróes e shows de lançamento.

Sérgio Pererê e No Chilla – Viamão (MG)

O cantor e compositor prepara Viamão, disco em parceria com o grupo de percussão portenho No Chilla. O álbum traz uma sonoridade latino-americana em diálogo com raízes afro, folclore argentino e elementos contemporâneos. Haverá turnê de lançamento por quatro cidades.

Natura Musical e a música brasileira

O Natura Musical, programa da Natura de apoio à música brasileira completou dez anos em 2015, ocupando papel singular no cenário de patrocínio cultural do país. Com mais de 300 projetos patrocinados, o programa apoiou, desde 2005, a realização de 1250 produtos culturais (1100 shows, 106 CDs, 21 DVDs, 18 livros e 5 filmes), e se converteu numa plataforma de renovação da música brasileira. Hoje proporciona o lançamento de um volume de novos trabalhos comparável aos principais selos de música brasileira não orientados exclusivamente pelo mercado, com uma média de 20 discos por ano, além de patrocinar cerca de 150 shows pelo país, gratuitos ou a preços mais populares do que o mercado oferece tradicionalmente, no caso de artistas consagrados.

O programa patrocina novos talentos, projetos de preservação de legado e formação musical  e artistas consagrados em momentos emblemáticos da carreira em todo o Brasil, por meio de diferentes frentes, como os editais públicos, que selecionam projetos de diferentes formatos e estágios da produção cultural, por meio das Leis Rouanet e do Audiovisual em todo o Brasil, e da Lei do ICMS em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e no Pará; por Seleção Direta, que contempla propostas adequadas ao conceito do programa e de grande relevância e inovação, sem a obrigatoriedade das leis de incentivo; e com o festival Natura Musical.

OUÇA O CANAL DO NATURA MUSICAL NO SPOTIFY E SAIBA MAIS NO PORTAL