Notícias

Mulheres trans acusam motorista de aplicativo de agressão e transfobia no DF

Genilson Coutinho,
10/02/2020 | 13h02
Aplicativo Uber (Foto Ilustrativa)

G1

Duas mulheres transexuais acusam um motorista de aplicativo de agressão e transfobia, em Brasília. De acordo com as passageiras, um motorista da Uber se recusou a transportá-las ao perceber que as passageiras eram trans.

Nas imagens gravadas com o telefone celular , é possível ver que o homem saiu do volante, abriu a porta traseira e mandou que elas saíssem do veículo. Quando as duas de recusaram a sair e falaram que chamariam a polícia – porque ele estava cometendo um crime – o motorista agrediu uma delas e saiu do local.

O caso ocorreu por volta das 11h desta quinta-feira (6), na Asa Sul. Contatada pelo G1, a Uber disse que “não tolera qualquer forma de discriminação em viagens realizadas em sua plataforma”. A empresa afirma que o motorista já foi punido.

As duas mulheres trans registraram ocorrência na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin).

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) também acompanha o caso. Em nota, o órgão informou que “está tomando todas as providências e se colocou à disposição das duas mulheres” e que vai acompanhar as investigações.