Morre jovem que teve mangueira de ar introduzida no ânus por colegas de trabalho

Comportamento, Social
16 de fevereiro de 2017
por Genilson Coutinho

Acapa

Morreu na tarde desta terça-feira, 14, o jovem de 17 anos, morador de Campo Grande, que deu entrada para internação na Santa Casa da cidade no começo do mês, depois de ter uma mangueira de ar penetrada no ânus por colegas de trabalho em um lava jato.

À polícia, a família da vítima disse que recebeu uma ligação do dono do estabelecimento falando que tinha acontecido “uns negócios” com o adolescente e que ele precisava ser levado urgentemente ao hospital.

Um boletim de ocorrência foi registrado na sexta-feira 03, por um primo do adolescente, de acordo com a Polícia Civil da capital do Mato Grosso do Sul.

Na Santa Casa, os familiares foram informados do ocorrido. Segundo informações, o jovem brincava no trabalho com os suspeitos quando um funcionário o segurou e o dono do lava-jato introduziu a mangueira de compressão no ânus da vítima.

“Eu quero que eles paguem pelo que fizeram. Acabaram com a vida do meu filho. Quero justiça. Só vou sossegar quando ver eles atrás das grades”, afirmou a mãe do jovem em entrevista à TV Globo.

“A pressão do ar era tão forte que fincou [a mangueira] dentro dele. Esse ar vazou, estourou o intestino grosso e saiu pela pele, pelas laterais, comprimindo os pulmões dele e trancando as válvulas respiratórias”, afirmou o pai do jovem.

Em uma declaração, o tio do garoto confirmou o óbito e reiterou que neste momento o desejo da família é por justiça.

”Não vamos parar enquanto a gente não conseguir justiça”, disse em entrevista ao site Campo Grande News.

Durante as duas semanas em que permaneceu internado, foram feitos dois procedimentos cirúrgicos por perda de metade do intestino grosso.

Os dois suspeitos da de terem cometido a agressão são Thiago Giovanni Demarco Sena, de 20 anos, dono do estabelecimento, e William Henrique Larrea, de 30 anos.

  • Jerferson Barreto

    Que coisa horrível de gente desprezível.