Morre em São Paulo Dona Jandira Pantel.

Sem categoria
23 de março de 2011
por Genilson Coutinho

Ela foi a primeira mãe de lésbica assumir defesa da orientação da filha em campanha publicitária.

Faleceu ontem, segunda-feira 21 de março em Santos interior de São Paulo Jandira Senna Pantel, 67 anos, mãe de Jane Pantel, ex-presidente do extinto Grupo Lésbico da Bahia (GLB) e atual diretora do Grupo Lobas de Santos. Dona Jandira, como era conhecida na Movimento LGBT do Brasil foi a primeira mãe de homossexual a ir a mídia falar na defesa de sua filha, Janne Pantel e defender sua orientação sexual. Ela lutava controu contra o câncer durante anos. Sua garra e vontade de viver era algo indescritível, muitas vezes mesmo abatida pela doença não se deixava levar pelo baixo astral e mau humor.

Dona Jandira já havia se submetido a varias cirurgias para retirada de tumores, inclusive numas dessas foi obrigada retirar o seio. Mas isso não impossibilitava de ela de lutar. Como cantava Clara Nunes na canção Canto de Areia “Era um peito só, cheiro de promessas”, Ela certamente disse a todos na sua partida, ainda na frase da canção: “Adeus meu(s) amor(es) eu não vou mais voltar” ela era assim doce, falante, alegre e muito solidária.

Dona Jandira foi à estrela da II Parada Gay da Bahia em 2003. Ela foi à grande mulher da Parada e sua imagem foi usada pelo Grupo Gay da Bahia numa campanha da agência Propeg que dizia o seguinte: “Minha filha ama uma mulher e eu amo a minha filha”, A campanha foi considerada uma das melhores feita pelo GGB até hoje.  A noticia da morte deixou Movimento LGBT de luto.

Do Rio de Janeiro Ione Lindgren Diretora da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Travestis (ABGLT) mandou mensagem de conforto a Jane Pantel na mensagem ela destaca alguns aspectos de Dona Jandira. “Mulher guerreira, de fibra e que assumiu publicamente ser mãe de lésbica e estar em nossa luta com a filha” disse a ativista carioca.  Luiz Mott fundador do GGB também expressou seus sentimentos. “Meus sentimentos pela morte de Dona Jandira. Encontrei-a, casualmente, no aeroporto, nos finais do ano passado, conversamos amigavelmente” disse Mott.  “O MLGBT da Bahia reconhece em Jandira Pantel grande colaboradora de nossa luta, entusiasta, corajosa, que mostrou a cara no belo cartaz da 2ª Parada Gay da Bahia”, conclui. Ela foi sepultada em Santos no dia de hoje.

Fonte: GGB

Fiquem com a canção de Clara Nunes Canto de Areia.