Montação profissional: Parada Gay de São Paulo promove oficina para novas drag queens;veja como participar

Sem categoria
21 de maio de 2013
por Genilson Coutinho


Maquiagem, produção, presença e criatividade: Dindry Buck e Sissi Girl ensinam o passo a passo para ser uma drag queen de sucesso na quarta edição da oficina “Linha de montagem: nasce uma drag queen”, que ocorre gratuitamente no dia 30 de maio, às 17h30, durante a 13ª Feira Cultural LGBT. As inscrições podem ser feitas através do e-mail oficinas@paradasp.org.br até o dia 28.

Segundo Dindry, a missão da drag queen é “levar alegria, cor, diversão, irreverência e muito bom humor onde quer que vá”. “É um palhaço de luxo dos tempos modernos, só que com contornos femininos”, diz a veterana que coordena o projeto.

Mas esse também é um mercado de trabalho concorrido e que exige profissionais preparados, por isso, é necessário ter técnica, conhecimento e dedicação. “Por isso, a oficina vem dar suporte a quem realmente tem vocação e talento. A oficina é uma preparação que muitas drags em início de carreira gostariam de ter”, completa Dindry.

Muito além do “bate-cabelo”, a drag queen é um dos principais síbolos da cultura LGBT. Seu campo de atuação tem se ampliado e atualmente é cotada para os mais variados eventos, como casamentos, aniversários, bailes de debutantes e confraternizações empresariais.

Conteúdo, inscrição e premiação

Ao lado de Dindry e Sissi, também ministram a oficina o ator Eduardo Moraes e o carnavalesco Ivo Brasil. Na parte teórica, as participantes vão aprender desde o histórico da cultura drag no Brasil e no mundo até noções de postura, presença de palco e projeção vocal. Já na parte prática, serão ensinadas técnicas de maquiagem, customização de roupas, assessórios e performance.

Serão apenas doze participantes selecionadas, por isso, é necessário que as interessadas façam inscrição com antecedência. No corpo do e-mail é necessário conter nome, telefone de contato e breve histórico. Na ocasião, as participantes devem levar um par de sapatos, peruca, maquiagem e figurino próprio.

Após a realização da oficina, as doze drag queens vão se apresentar no palco da Feira Cultural LGBT para milhares de pessoas. A predileta do público, além de receber a faixa de campeã, ganha uma peruca, um ensaio fotográfico e acesso com acompanhante a um trio da 17ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que ocorre em 2 de junho.


13ª Feira Cultural LGBT

Atividade integrante do calendário oficial do Mês do Orgulho LGBT de São Paulo, a Feira Cultural LGBT ocupa toda a extensão do Vale do Anhangabaú, das 10h às 22h, com cerca de 80 tendas para a venda ou amostragem de produtos dos mais variados segmentos, como moda, assessórios, calçados, perfumes, artes plásticas, decoração, literatura, música, vídeo, artigos esotéricos, entre outros. Há também uma praça de alimentação e um setor específico para divulgação dos trabalhos de ONGs e demais entidades que apoiam a causa LGBT.

No palco são apresentados gratuitamente diversas atrações musicais, esquetes teatrais, performances, shows de drag queens e demais artistas da cena LGBT, além de DJs que se revezam nas pick-ups ao longo das 12 horas de duração. Além da oficina “Linha de montagem: nasce uma drag queen”, Dindry Buck comanda outra sobre sexualidade e prevenção: “Na Cama com Dindry Buck”, às 14h e 16h.

Conheça a programação oficial completa do 17º Mês do Orgulho LGBT.

SERVIÇO
Oficina “Linha de montagem: nasce uma drag queen”
30 de maio – 17h30 (durante a 13ª Feira Cultural LGBT)
Vale do Anhangabaú > Veja o mapa
Inscrições até 28 de maio, pelo e-mail oficinas@paradasp.org.br
Participação gratuita