Modelo trans demitida pela L’Oréal incentiva boicote à marca

Notícias
4 de setembro de 2017
por Genilson Coutinho

Muita gente comemorou a iniciativa da L’Oréal quando contratou a modelo transgênero Munroe Bergdorf para protagonizar as suas campanhas. O casamento, entretanto, não durou muito. Munroe foi retirada de uma campanha que celebrava a diversidade promovida pela marca no Reino Unido. O estopim do rompimento foi um comentário considerado racista pela empresa.

De acordo com o jornal Daily Mail, a modelo teria publicado a seguinte mensagem em suas redes sociais: “Honestamente, eu não tenho mais energia para falar sobre a violência racial das pessoas brancas. Sim, de TODAS as pessoas brancas”. O post foi apagado em seguida.

Diante da repercussão negativa do comentário, a conta oficial da L’Oréal do Reino Unido no Twitter informou o fim do vínculo com a modelo. “L’Oréal é campeã da diversidade. Comentários de Munroe Bergdorf estão em desacordo com nossos valores, e por isso decidimos terminar nossa parceria com ela”.

O desentendimento constrangedor não parou por ai. Em seu perfil no Facebook, a modelo publicou diversos textos em sua defesa, dizendo que suas frases foram retiradas de contexto e o que é pior para a empresa, convocou o público para um boicote. “Esta marca de maquiagem não se preocupa com nada além de dinheiro. Eu convoco vocês a boicotar a L’Oréal Paris. Não consigo expressar como estou desapontada com todo o time em lidar com frases que foram completamente tiradas de contexto”, explicou em seu perfil.