Menina trans de nove anos é capa de edição da revista National Geographic

Comportamento, Social
9 de janeiro de 2017
por Genilson Coutinho

A National Geographic entrou de cabeça no debate sobre gênero e estampa a capa da edição deste mês   Avery Jackson, uma menina trans que se tornou ativista de um dos temas que mais incita debates na atualidade. Além do impresso, o canal de TV da publicação lançará um documentário sobre a chamada “revolução do gênero”.

Centro de acolhimento de pessoas transgênegeros, na cidade de Topeka, nos EUA. Foto: Planting Peace/Todas imagens Divulgação

Segundo o “Huffington Post”, a edição apresenta  uma pesquisa sobre os papéis e rituais de cada gênero e entrevistas com pessoas que não se identificam com as posturas tradicionais sobre o tema. Foram entrevistadas mais de 100 crianças e adolescentes ao redor do mundo.

Avery Jaclson será capa da edição de janeiro da revista National Geographic

“A melhor coisa em ser uma garota é que, agora, não preciso fingir que sou um garoto”, disse a menina em sessão de fotos de Robin Hammond. Há dois anos, Avery conta com a ajuda de sua mãe, Debi, para abordar a questão de gênero nas redes sociais e já é considerada uma importante voz nos EUA.

“A National Geographic tem quase 130 anos e temos coberto culturas, sociedades e questões sociais por todos esses anos. Chegou a nós que gênero estava no centro de muitas destas questões no noticiário”, afirma Susan Goldberg, diretora do National Geographic Partners e editora-chefe da revista da National Geographic à NBC.

Em fevereiro, além da revista, a National Geographic lançará um documentário de duas horas sobre o tema. “Gender Revolution: A Journey with Katie Couric” aborda “tudo o que você queria saber, mas tinha medo de perguntar”, afirma a jornalista Katie Couric à publicação americana.