Marina Lima rebate declaração de secretário do Vaticano sobre gays

Comportamento, Social
1 de junho de 2015
por Genilson Coutinho

marinalimatratada2

A cantora Marina Lima foi uma das mais diretas.”Infelizmente, o secretário do Vaticano já morreu e esqueceu de se deitar”, ironizou ela, que nunca escondeu sua bissexualidade e já falou abertamente sobre a relação com a cantora Gal Costa.

O cardeal Pietro Parolin é o principal auxiliar do papa Francisco, mas vale lembrar que o pontífice tem adotado um tom mais simpático aos homossexuais. Em 2013, logo após assumir o comando da Igreja Católica, ele questionou: “Se uma pessoa é gay e busca a Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgar?”.

Casado desde 2011 com o arquiteto André Piva, o estilista Carlos Tufvessonfoi polido em seu comentário. “Como católico, acho uma declaração completamente desnecessária. Se é a opinião desse senhor, não precisa expô-la em público, guarde pra si. Declarações como essa são injustas, não encontram respaldo em nossa constituição e causam sofrimento a tantos que nada têm de cristãs. Resumindo: em um mundo com tanta ‘derrota para a Humanidade’ como a violência, intolerância e a quebra de votos de castidade e celibato (dos religiosos), sinceramente, melhor ignorar essa declaração”, disse o estilista,

Thammy Miranda, que faz terapia hormonal para transição de gênero, faz coro a Tufvesson. “Enxergo o resultado do referendo como uma vitória. Cada um tem sua opinião, né? Ele é secretário do Vaticano, mas sua opinião não é uma verdade absoluta por causa disso ou mais importante que a opinião de outras pessoas”, analisou a filha de Gretchen. “O resultado desse referendo mostra que a humanidade está evoluindo. Ainda existe muito preconceito, mas ele vai diminuir cada vez mais. Estamos dando um passo de cada vez e, assim, as coisas ficam mais sólidas”, completou ela.

Do Ego