Lucro Líquido de Natura &Co cresce 118% no 3º tri

Serviços
13 de novembro de 2018
por Genilson Coutinho

A Natura &Co registrou crescimento de 37,1% da receita líquida consolidada reportada no terceiro trimestre de 2018, na comparação com o mesmo período do ano anterior, para R$ 3,24 bilhões. Considerando o resultado ajustado[1], o faturamento líquido consolidado aumentou 16,6% no terceiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período de 2017, com forte desempenho nos três negócios. Nos primeiros nove meses do ano, as vendas reportadas cresceram 48,1%, atingindo R$ 9,1 bilhões, e a receita líquida ajustada teve alta de 13,7%, sempre em relação aos mesmos meses do ano anterior.

 O lucro líquido reportado, por sua vez, mais do que dobrou em relação ao mesmo período do ano anterior, com um aumento de 118%, para R$ 132,8 milhões, impulsionado por um aumento do EBITDA e redução das despesas financeiras. O forte resultado foi alcançado apesar dos efeitos contábeis da hiperinflação na Argentina e os custos de transformação da The Body Shop. O resultado operacional ajustado cresceu 10,2% no terceiro trimestre, para R$ 326,6 milhões, e em 30,4% nos nove primeiros meses do ano, para
R$ 754,1 milhões.

 “Natura &Co registrou mais um trimestre de sólido desempenho, evidenciando o crescente dinamismo e força de nosso grupo global, multimarcas e multicanal. No Brasil e na Latam, a Natura mostrou importantes avanços em categorias-chave e no comércio online, enquanto as vendas da The Body Shop aumentaram graças aos pedidos de franqueados e estabilidade das vendas nas lojas próprias. A Aesop manteve seu forte crescimento, tanto no conceito ‘mesmas lojas’ quanto online”, afirma Roberto Marques, presidente executivo do Conselho de Natura &Co.

 Com ganhos de participação de mercado e aumento de produtividade por consultora, a receita reportada da Natura (Brasil e Latam) cresceu 4,5% no terceiro trimestre e 7,4% nos nove primeiros meses de 2018. No Brasil, a receita líquida da Natura teve avanço de 9,4% entre julho e setembro, na comparação com o mesmo período do ano anterior, com ganhos contínuos de participação de mercado em categorias-chave. O oitavo trimestre consecutivo de ganhos de produtividade das consultoras também mostrou o dinamismo de seu novo modelo comercial (Venda por Relações). Na América Latina, a receita reportada caiu 7,8% no trimestre, negativamente impactada pela adoção de regras contábeis para a hiperinflação na Argentina. Nos nove primeiros meses do ano, o aumento foi de 11,1%. O faturamento líquido comparável, que exclui esses efeitos, teve alta de 16,9% em moeda constante, com bom desempenho no México, Argentina e Chile e aumento do número de consultoras na região.

 Impulsionado pelas vendas aos franqueados, a receita líquida ajustada da The Body Shop aumentou 3,6% tanto no trimestre quanto nos primeiros nove meses do ano, em moeda constante. Em reais, a alta foi de 26,8% no trimestre e de 21,5% nos nove primeiros meses do ano, na mesma base de comparação. A marca continuou avançando na implementação do seu plano de transformação e o EBITDA ajustado mais do que dobrou no trimestre, excluindo os custos de transformação já esperados. O resultado evidencia novos avanços na eficiência operacional, principalmente devido ao fechamento de lojas, e reflete um menor nível de desconto.

 A Aesop continuou a registrar taxas notáveis de crescimento, com alta de 34,8% da receita reportada no terceiro trimestre e de 33,9% nos nove primeiros meses do ano, em moeda constante, com sólida performance em todos os canais e geografias. As vendas no conceito “mesmas lojas” aumentaram 17% no trimestre, com abertura de seis lojas no período, incluindo a primeira unidade em Roma.

 O EBITDA de Natura &Co alcançou R$ 483 milhões no terceiro trimestre, um aumento reportado de 7,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Ajustado, o EBITDA teve aumento de 33,7% em reais no terceiro trimestre de 2018, em comparação com o mesmo período no ano passado, para R$ 496,6 milhões.

 A relação entre dívida líquida e EBITDA também melhorou, ao cair de 3,52 vezes no terceiro trimestre do ano passado para 3,27 vezes no mesmo período deste ano, em linha com as expectativas.

 Além dos resultados financeiros positivos, o grupo também teve marcos importantes em sua busca por gerar impacto social e ambiental positivo. A The Body Shop apresentou à Organização das Nações Unidas (ONU) uma petição assinada por mais de 8,3 milhões de pessoas em apoio à sua campanha global pelo fim dos testes em animais na indústria cosmética.

 Esta campanha também contou com o apoio da Natura, que recentemente recebeu duas certificações importantes que atestam seu compromisso em não realizar testes de produtos ou ingredientes em animais: o selo “The Leaping Bunny”, concedido pela Cruelty Free International, e a inclusão da marca na lista elaborada pela Peta (People for the Ethical Treatment of Animals) de empresas que baniram os testes em animais.

 A Aesop firmou uma parceria de três anos com uma cooperativa indígena australiana que produz óleo essencial de sândalo. A cooperativa combina sândalo com outras madeiras para produzir um óleo sustentável de alta qualidade.

 “Com esses sólidos resultados, a Natura &Co está no caminho para entregar suas metas financeiras de médio prazo, ao mesmo tempo em que busca promover impacto positivo nas esferas social e ambiental, ressaltando seu compromisso com a construção de um grupo global, movido por propósitos, e que gera valor para seus públicos de relacionamento”, conclui Marques.

 Saiba mais em www.naturaeco.com