Lançamento de livro biográfico sobre a vida, carreira e poética de Harildo Déda dá continuidade ao projeto Mestres da Cena

Sem categoria
28 de outubro de 2011
por Genilson Coutinho

Projeto Mestres da Cena da Secretaria de Cultura do Estado da Bahiacontinua suas homenagens ao ator, diretor e professor Harildo Déda, ícone do teatro e da cultura baiana, através de uma série de novos eventos que reforçam a ligação do mestre com seu público e seus alunos.

Os eventos começam com uma oficina inédita, e especialmente desenvolvida para atores profissionais, exercitando a poética desenvolvida pelo professor, ator e diretor Harildo Déda, ao longo de seus quase 50 anos de prática teatral. Ministrada pelo próprio Déda oobjetivo é promover um diálogo entre a poética desenvolvida por ele e o aprendizado da cena adquirido pelos atores baianos. A oficina oferece 20 vagas para atores e 20 vagas para ouvintes, acontecendo de 1º a 03 de novembro, das 14h às 18h, no Teatro Castro Alves. As inscrições já estão encerradas.

Em seguida, no dia 07 de novembro, às 18h30, no foyer do Teatro Castro Alves, acontece o lançamento do livro Harildo Déda – A Matéria dos Sonhos, escrito por Luiz Marfuz e Raimundo Matos de Leão. Harildo Déda – A Matéria dos Sonhos é um relato histórico e documental sobre o homem, o artista e seu tempo. Recheado com imagens, o livro é também um registro de quase 50 anos de história do teatro baiano e seus principais personagens. Trata-se também do primeiro livro escrito sobre um ator baiano e sua técnica de ensino.

Abrindo a noite de lançamento acontece o Conversas Plugadas – Especial Harildo Déda.  O evento, criado pelo Teatro Castro Alves, tem como proposta oferecer novos conhecimentos ao corpo técnico do teatro e ao público em geral, através do intercâmbio com profissionais de excelência no cenário nacional e internacional, com os quais poderão ser compartilhadas vivências e olhares sobre a profissão. OConversas Plugadas – Especial Harildo Déda têm a entrada franca. As senhas estarão garantidas até 30 minutos antes do início do evento, sendo liberadas em seguida para o livre acesso do público.

Com uma carreira composta por quase 70 peças como ator e mais de 20 espetáculos como diretor, Harildo Déda é uma das figuras mais representativas do teatro baiano. Além disso, foi professor do curso de interpretação da Universidade Federal da Bahia desde 1973. Em 2009, Déda completou 70 anos de vida, dos quais quase 50 foram dedicados ao fazer teatral. Com a intenção de homenagear esse grande mestre que tanto contribuiu para a história das Artes Cênicas na Bahia, que surgiu a montagem da peça A Última Sessão de Teatro, escrita e dirigida por Luiz Marfuz.  O espetáculo esteve em cartaz no Teatro Vila Velha de 27 de novembro a 13 de dezembro de 2009 e também fez parte do Projeto Mestres da Cena, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Nascido em Simão Dias, interior do estado de Sergipe, em 03 de novembro de 1939, Déda se tornou uma das personalidades mais queridas e admiradas do Teatro na Bahia. Ele veio para Salvador aos 12 anos de idade e recebeu em 2003 o título de Cidadão Soteropolitano. “Apesar de ser sergipano, sou um ator baiano”, afirma Déda com convicção. Ele, que contracenou com grandes nomes como Othon Bastos, fala com humildade de sua competência em cena. “Não sei se sou bom ator, mas sou senhor do meu ofício e tenho muito orgulho disso”, afirma discreto.

Pelos ensinamentos de Harildo, seja em sala de aula ou em palco, já passaram nomes como Frank MenezesFábio LagoHebe AlvesMarcelo Flores, Cleise MendesWagner Moura, Lázaro Ramos e Vladimir Brichta. Os pupilos, que hoje brilham nos palcos e telas de todo o país, sem dúvidas reconhecem o trabalho do mestre. Para Vladimir Brichta, por exemplo, foi Déda quem ensinou sobre o comprometimento com a profissão. “Harildo pra mim é sinônimo de dignidade. Sem dúvida alguma foi ele que me ensinou a procurar o amor e humor de cada personagem, a buscar verdade e apropriação. Mas, mais do que isso, foi em quem me espelhei para aprender sobre comprometimento, paixão e dignidade com o teatro” afirma Brichta.

Cinéfilo, Déda tem um prazer especial em atuar para o cinema. Ele participou de obras como Tieta do Agreste (1996), Central do Brasil (1998), Cidade Baixa (2005), Orquestra dos Meninos (2008), Quincas Berro D’Água (2010), Jardim das Folhas Sagradas(2011), dentre outros.  Na televisão, esteve presente nas minisséries O Pagador de Promessas (1988), Dona Flor e Seus Dois Maridos (1998) e Carga Pesada (2004).

OS AUTORES

Raimundo Matos de Leão

Professor adjunto da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia. Doutor e Mestre em Artes Cênicas. Trabalhou como ator em Salvador (1968-1974) e em São Paulo(1974-1985). Estreou como dramaturgo em 1977, com a peça Brincadeiras, premiada pelo Serviço Nacional de Teatro. Escreveu para o Bambalalão, programa para crianças produzido pela TV Cultura – SP, e publicou diversos livros para crianças e jovens: Um Muro no Meio do Caminho, Primavera Pop!, Braçoabraço, Da Costa do Ouro, Quem Conta Um Conto Aumenta Um Ponto, De Cara Para o Futuro, Tem Um Grilo no Pedaço, Bacanas e Famosos no Caderno de Autógrafos. Com a peça Acrelírico, recebeu o Prêmio Nacional de Literatura 2004 – Dramaturgia, Fundação Cultural do Estado da Bahia. Em 2002 foi agraciado com o Prêmio Adolfo Aizen, de literatura infantil e juvenil da União Brasileira de Escritores. Além dos inúmeros artigos sobre teatro e arte na educação, publicou Abertura Para a Cena: o moderno teatro na Bahia (EDUFBA, 2006) e Transas na Cena em Transe: teatro e contracultura na Bahia (EDUFBA, 2009). Filiado ao grupo de pesquisa DRAMATIS – Dramaturgia, Mídias, Teoria,CríticaeCriação.

Luiz Marfuz

 Diretor Teatral, Jornalista, Administrador e Professor-Adjunto da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia – UFBA.  É Doutor em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas-PPGAC/UFBA e Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela FACOM-UFBA. É autor das peças Bodas de Prata, A Última Sessão de Teatro, Cuida Bem de Mim (em parceria com Filinto Coelho) e Meu Nome é Mentira. Realiza pesquisa sobre encenação contemporânea, com destaque para o teatro de Beckett, objeto de sua tese de doutorado no PPGAC/UFBA: “O teatro de Beckett: poética de implosão e estratégias de encenação”. Entre as peças que dirigiu, destacam-se Mãe Coragem e O Casamento do Pequeno Burguês (Bertolt Brecht); Policarpo Quaresma (Lima Barreto/Marcos Barbosa), Comédia do Fim (Samuel Beckett) e As Velhas (Lourdes Ramalho). É fundador e líder do grupo de pesquisa PÉ NA CENA (Poéticas de Encenação e Atuação), filiado ao CNPq.