Jovens LGBTQ + sofrem ataques homofóbico em Salvador

Notícias
30 de outubro de 2018
por Genilson Coutinho

Walter Fernandes Foto: Reprodução Facebook

O funcionário público e promoter de uma casa LGBTQ e Walter Fernandes atendente de telemarkting viveram momentos de tensão na noite do último domingo (28), ao retornar para casa . Eles usaram suas redes sociais para denunciar a violência praticada por um provável grupo de eleitores do candidato eleito à Presidência da República.

De acordo com Kelvin Cruz, que por pouco não foi agredido na Rodoviária, mas escutou uma tentativa de agressão sob os gritos de “viado tem que morrer”, enquanto um dos homens tentaram se aproximar dele, mas desistiram após a presença da polícia, que impediu o ato.

Ainda de acordo com Kelvin, os policiais foram bastante atencioso s e o acompanharam até próximo da sua residência, conforme relatado por ele, no post.

“Quase fui espancado agora na rodoviária de Salvador por dois caras, que vieram em minha direção brutalmente, gritando que “viado tem que morrer”, e demais palavras de baixo calão. Chamei a polícia que estava perto e eles vieram e não vi muita reciprocidade em correr atrás do caras, ao menos eles me acompanharam até perto de casa.

Graças a Deus e Ogun eu estou bem, mas poderia estar espancado ou até morto.

Cada voto em Bolsonaro é um ferida criada em nós, minorias” escreveu ele .

Já no bairro do Comercio , Walter Fernandes atendente de Telemarketing foi vítima de uma agressão ao sair do trabalho e está em coma no HGE . Segundo informações de colegas de trabalho, o jovem foi agredido na saída.

Segundo um áudio de uma amiga da vítima, ele foi perseguido do elevador até à praça do mercado, do ouro onde foi agredidos por um grupo. Ainda no áudio, a amiga relata que não roubaram nada do jovem, apenas bateram na cabeça e com muita violência .

Foi um ato homofóbico, conta a amiga que relata que, graças a um desconhecido, o jovem foi socorrido e levado para próximo do trabalho. O jovem segue internado em coma no hospital HGE.

Na próxima terça-feira (6), amigos e colegas do atendente farão uma manifestação na porta da empresa de telemarketing a partir das 14h. Todos estarão de branco em pedido de paz e agilidade na investigação.

Na sua página no Facebook, amigos lamentaram a violência sofrida por Walter Fernandes e comemoram a melhora do jovem.