Jovem sofre ataque homofóbico em Camaçari

Sem categoria
3 de dezembro de 2012
por Genilson Coutinho

A noite do último domingo (2) foi de terror e violência para o ator Bruno Lago de 20 anos, morador de Camaçari. Quando ele retornava para casa por 23h depois de um encontro com os amigos em uma festa no bairro.

Na proximidade da prefeitura da cidade, dois jovens partiram para cima da vitima com murros e socos na boca, além de levarem o celular de Bruno   durante as agressões. Bruno nos relatou que apenas ouvia eles dizerem que “veado tinha que morrer, ser roubado e apanhar para aprender a ser homem”, dizia os agressores dentre outros adjetivos de baixo calão deixando claro que se trata de mais um caso de homofobia em Camaçari.

“Estava voltando depois de uma festa com meus amigos, quando dei conta só sentir os agressores partirem para cima e não deu para identificar. Só sei que foram dois, pois o casal que me socorreu no primeiro momento afirmaram  que eram dois”, contou Bruno ao Dois Terços.

O jovem foi socorrido pelo casal que acionou uma viatura da policia que não se importou muito com o estado do jovem que sangrava e o deixaram lá.

Bruno foi socorrido e conduzido para clinica Santa Helena antes de ser  encaminhado para o HGE, sendo liberado na noite desta segunda feira (3), quase 24h horas depois da agressão.

A família do Jovem está chocada com a violência e já prestou queixa da agressão sofrida por Bruno que perdeu mais de 3 litros de sangue com as agressões e não teve condições de comparecer para registrar o boletim de ocorrência.

A violência já mobiliza grupos nas redes socais que prometem realizarem uma manifestação em Camaçari diante da violência contra os homossexuais na região. Este ano a população da cidade acompanhou o caso do casal de lésbicas, Laís Fernanda dos Santos, 25, e Maiara Dias de Jesus, 22, assassinadas em agosto sem solução do caso até o presente momento, ou seja há um silencio da polícia baiana quando assunto é crimes contra os homossexuais mesmo  tendo como principal suspeito do crime das mulheres  um ex-namorado de uma das vítimas.

Este é o quarto caso motivado por homofobia registrado em Camaçari neste ano.