Jovem envolvido na morte de professor em Amaralina é preso

Notícias
17 de setembro de 2015
por Genilson Coutinho

professor

Um jovem de 19 anos foi preso na manhã desta quarta-feira (16), no bairro de São Gonçalo do Retiro, suspeito de envolvimento na morte do professor Deodarkson Aparecido Rêgo Pereira, 45 anos.

A vítima foi encontrada morta com os pés e mãos amarrados e com sinais de esganadura dentro do apartamento em que residia, no bairro de Amaralina, na noite da segunda-feira (14).

O suspeito, identificado como Nadson de Jesus Pepe, será apresentado à imprensa às 11h desta quinta-feira (17), no auditório do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba.

Um adolescente de 16 anos, que também participou do crime, foi apreendido e encaminhado à Delegacia do Adolescente Infrator (DAI). Os delegados Marcelo Sansão e Andréa Ribeiro, da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), conduzirão a apresentação.

De acordo com a Delegacia de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP), sete pessoas haviam sido ouvidas até a tarde desta quarta-feira (16), dentre familiares e amigos de Deodarkson. Duas delas – um sobrinho e um amigo – informaram que mantiveram contato com a vítima pela última vez por telefone na manhã do sábado (12).

A polícia foi chamada ao edifício Mar Azul, na rua Visconde de Itaborahy, por um morador que estranhou o cheiro que estava vindo de um dos apartamentos, por volta das 19h da última segunda (14). Ao chegar lá, policiais da 40ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/ Nordeste de Amaralina) encontraram o corpo no chão.

“Aparentemente se trata de um homicídio, porque ele estava com a mãos amarradas, os pés também”, diz o soldado Maciel. “A perícia será feita e vai determinar como foi essa morte”, acrescenta. Uma faca foi localizada próxima ao corpo pela 40ª CIPM.

“Pelo mau cheiro, acredita-se que menos de três dias não tem como (ele estar morto)”, diz o soldado. O corpo de Deodarkson apresentava sinais de gigantismo quando foi encontrado.

Segundo o PM, não é possível afirmar se há sinais de arrombamento na casa – o vizinho que chamou a polícia sinalizou que a porta estava entreaberta – nem se algo foi roubado. O professor, que era natural de Guanambi, morava sozinho, segundo relatos de vizinhos. De acordo com a Secretaria de Educação (SEC), o dele foi enterrado na manhã desta quarta-feira (16) em sua cidade natal.  Ainda segundo a secretaria, a direção do Colégio Estadual Rotary, onde trabalhava, informou que as aulas estão mantidas e o colégio funciona normalmente.

Tristeza

Segundo a SEC, ele era muito querido e afetuoso com os alunos. Deodarkson ensinava química no Colégio Estadual Rotary, na Ladeira do Abaeté, em Itapuã e era concursado da Rede Estadual desde 2004. “Estamos perdendo uma pessoa muito querida e preparada academicamente. Recebemos a informação com muita tristeza. Ele era uma pessoa muito solícita, sempre disposto a ajudar a todos. Tinha um conhecimento acadêmico vasto”, lamentou Joana Livia Negrão, diretora do colégio.

Ainda segundo ela, o professor trabalhava na unidade de ensino há 11 anos. Ele ministrava aulas nos turnos matutino e vespertino para turmas do ensino médio. Deodarkson já havia comentado com colegas de trabalho sobre insegurança na rua onde morava.

“Ele sempre comentava que aquela área onde morava tinha muitos assaltos. Relatava já ter visto vários pela janela, inclusive no ponto de ônibus que fica em frente ao prédio dele”, lembrou Joana.

Do Correio 24horas