Jean Wyllys participou de Ciclo de Debates sobre política parlamentar

Sem categoria
7 de junho de 2012
por Genilson Coutinho

Na noite de sexta-feira, foi realizado no SESC Consolação o último debate do 10º Ciclo de Debates, promovidos pela APOGLBT, que durou toda a semana entre os dias 28/05 e 01/06. Esta atividade integra a programação oficial do 16º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo.

Esteve presente na mesa de debates o presidente da APOGLBT, Fernando Quaresma e o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ). Marlene Xavier, fundadora da Associação Sociocultural Igor Vive e ativista da articulação Nacional Mães Pela Igualdade, estava confirmada no debate, mas não compareceu por problemas de saúde.

No debate, foram abordado os temas da homofobia, conjuntura política e família. O deputado Jean Wyllys começou o seu discurso desafiando aos participantes a pensar quais poderiam ser as estratégias e as formas de seduzir um número maior de pessoas nessas atividades que têm um caráter mais político do que reivindicatório no Mês do Orgulho LGBT. “Esse é um desafio que não é só da Associação da Parada e dos associados, mas de todos nós ativistas. Coloco-me a disposição, como parlamentar que represento essa comunidade no Congresso Nacional, a pensar soluções para atrair mais pessoas a discutir esses assuntos ligados a favor da comunidade gay.” disse Wyllys.

Cidadania e Liberdade de Expressão: Wyllys reforçou que, quando se refere a “comunidade gay”, está também englobando as travestis e transexuais, as lésbicas, os gays e toda a “sexo diversidade” que existe hoje. “Explico isso para que toda a categoria que engloba a comunidade LGBT não se se sinta excluída de minha fala, estou me referindo ao conjunto dessa diversidade e aos homossexuais de uma maneira em geral.”

O parlamentar discutiu o direito de setores religiosos em não concordam com o modo de vida homossexual, embora isso não signifique que defendam restrição de direitos dessa população LGBT. “Eu não quero que as pessoas me amem por eu ser homossexual, mas eu não admito ter menos direitos”, afirmou Jean Wyllys.

O convidado defendeu a busca pelo casamento civil igualitário entre os homossexuais, pois estende os direitos constitucionais negados a esta população. No que diz respeito a criminalização da homofobia, comentou que este não é o melhor caminho, pois priva a liberdade do outro. No debate, a criminalização da homofobia foi comparada com o racismo, que priva de liberdade o sujeito que comete injúria racial. Houve opiniões concordantes com a ideia de que o sistema carcerário brasileiro não está preparado para sociabilizar este indivíduo e que políticas de educação continuada e prestação de serviços sociais talvez pudessem ser mais eficientes para estes casos.

Curral legislativo: Jean Wyllys ainda citou uma metáfora que costuma usar, dizendo que nossa política pode ser comparada com duas alegorias. A maioria dos deputados e senadores estão sobre um boi de rodeio pulando em círculos para manter privilégios, enquanto uns poucos estão sobre o cavalo que segue em frente, com um sentido, um destino e uma missão.

Nelson Matias, do Conselho de Sócios Fundadores da APOGLBT, se manifestou apontando a importância do deputado Wyllys para a comunidade LGBT ao ouvir que Jean não sabe se voltará a ser candidato nas eleições de 2014. “Não deixe de nos representar nas próximas eleições, por favor”, disse Matias, sendo aclamado pelos presentes.

O deputado ainda opinou sobre drag queens que partem para a política, se apresentando como candidatas a cargos públicos. Jean é a favor desse tipo de mobilização, e acredita que a comunidade LGBT deve saber utilizar positivamente, e a seu favor, essa visibilidade que as drags possuem. “As drags são mais articuladas e vistas que um simples militante com a sua bandeirinha. Devemos parar com o preconceito existente dentro da comunidade e passar a apoiar quem está a nossa frente”, concluiu Wyllys.


Foto de: Claudiney Bitman