James Franco diz que é gay, mas só até o momento da penetração

Social, Tem Direito
19 de março de 2015
por Genilson Coutinho

Franco (1)

O ator James Franco teve novamente sua orientação sexual questionada, em uma entrevista divulgada nesta quarta-feira, 18, na revista Four Two Nine. O astro, que vive postando fotos sensuais com homens nas redes sociais, mas só é visto com mulheres, fala sobre a polêmica envolvendo a sua ‘persona gay’.

“Bem, eu gosto de pensar que eu sou gay na minha arte e hétero na minha vida. Embora, eu também seja gay na minha vida, mas só até o ponto da penetração, a partir daí você poderia dizer que eu sou hétero”, explicou Franco. Para ele, a denominação “gay” está relacionada a forma como o interlocutor define o termo.

“Se isso significa com quem você faz sexo, eu acho que eu sou hétero. Mas nos anos 20 e 30, eles costumavam definir homossexualidade pela forma como você age e não por quem você dormiu. Marinheiros fodiam caras o tempo todo, mas por se comportarem de maneira masculina, eles não eram considerados gay”, completa.

Sobre as cenas de sexo com outro homem, no filme “A life of Hart Crane” , o ator considerou que as imagens deveriam ser explícitas por duas razões. “Um, eu sabia que Crane era um homem abertamente gay em uma época em que isso era raro, e ele estava tão à frente do seu tempo sobre isso que ele assustou seus amigos poesia mais conservadores, então essas cenas eram uma maneira de mostrar a natureza da própria sexualidade de Crane. Eu também sabia que o filme ia ser cheio de poesias densas, então eu quis quebrar um pouco isso com algumas cenas de sexo quente”, frisa.

Quando perguntado sobre a possibilidade de transar com um homem e se isso mudaria as coisas, ele disse “eu duvido”. “Como eu disse, eu sou gay na minha arte. Ou, devo dizer, ‘alternativo’ em minha arte. E eu não sou dessa forma por razões políticas, embora, por vezes, torna-se político, como quando eu votei a favor do casamento do mesmo sexo etc”.

O próximo filme de James, “I AM Michael”, também vai abordar a temática gay. No filme, ele interpreta um pastor “ex-gay”, que vive uma relação com Zachary Quinto.