Instituto Boa Vista promove roda livre e debate sobre mídia e homofobia

Comportamento, Social
16 de maio de 2017
por Redação

card

As notícias sobre crimes e violência, fruto do preconceito contra os LGBTs sempre mereceu destaque da imprensa. Mas até que ponto os veículos de comunicação divulgam de forma correta as informações? Essa pergunta e outros questionamentos serão debatidos nesta terça-feira (16), das 14h às 17h, no Roda Livre sobre ‘Mídia e Homofobia’ promovido pelo Instituto Boa Vista, que acontecerá no auditório da Faculdade dos Guararapes, Campus Boa Vista. Para a mesa foram convidados renomados jornalistas: Eliana Victorio (TV Tribuna), Wladmir Paulino (Portal NE 10 do Sistema Jornal do Commercio), Washington Gurgel (TV Jornal) e Diogo Carvalho (Diario de Pernambuco), além do historiador Sandro Silva.

Hoje a questão LGBT vem sendo destaque em todo o mundo e ganhando espaço na imprensa, possibilitando as pessoas a terem um maior conhecimento sobre a homofobia. Mas como essas notícias são levadas até o telespectador? De que forma o repórter apura os fatos? A televisão tem proporcionado espaços para o debate da questão da homofobia? São perguntas motivadoras para a discussão entre os convidados e o público.

O Coordenador do Projeto Cidadania LGBT do Instituto Boa Vista, o sociólogo Acioli Neto será o mediador do debate que irá antecipar as comemorações do Dia Internacional contra a Homofobia celebrado no dia seguinte – na quarta-feira (17). Segundo o sociólogo não é difícil notar que as emissoras de TV e a imprensa digital e impressa estão cada vez mais empenhadas em mostrar à realidade vivida por muitos LGBTs. “Mas é preciso que o assunto seja tratado também como forma de combater o preconceito e a homofobia”, afirma.

De acordo com Acioli Neto, atualmente a novela “A Força do Querer” de autoria de Glória Peres desenvolve na trama o tema da transexualidade masculina e a travesti, com dois personagens vivendo situações de preconceito e dúvidas de aceitação que normalmente acontecem com muitos LGBTs. “A novela tem um potencial midiático e de audiência riquíssimos. Porém, resta saber se a abordagem sobre a homofobia será capaz de fazer as pessoas refletirem para mudarem suas atitudes de preconceito em relação aos LGBTs”, completa Acioli Neto.

O Roda Livre ‘Mídia e Homofobia’ será uma Roda de Diálogo com quem convive o dia a dia da notícia, desafios e histórias de vida. Conheça mais sobre os palestrantes abaixo:

Diogo Carvalho – Editor do site e mídias sociais do Diario de Pernambuco veículo que ele atua há 12 anos. O jornalista já foi responsável pelo LGBTudo, primeiro blog de militância gay e conteúdo do Nordeste. Diogo Carvalho chegou recentemente da Tailândia considerada a capital mundial de respeito à diversidade transgêneros.

Eliana Victorio – Apresentadora do programa “Ponto de Vista” e editora do “Ronda Geral”, da TV Tribuna. Eliana Victorio já venceu o prêmio Cristina Tavares de jornalismo em 2013 e já passou pelas redações da TV Jornal, na TV Globo onde iniciou sua carreira de jornalista no Recife.

Sandro Silva – Historiador e autor da Dissertação de Mestrado Quando ser gay era uma novidade: aspectos da homossexualidade masculina na cidade do Recife na década de 1970. Sandro fez uma pesquisa minuciosa em arquivos e notícias de jornais da época do regime militar.

Wladmir Paulino – Repórter do Portal NE10 é autor do especial “Raízes da Intolerância”, que aborda quatro formas de intolerância, entre elas a LGBTfobia, publicado no portal NE10 do Sistema Jornal do Commercio. O próprio especial tem um vídeo (mini-documentário) abordando cada uma das intolerâncias.

Washington Gurgel – Washington Gurgel apresenta o programa policial “Bronca 24 horas” na TV Jornal afiliada ao SBT. Gurgel já teve passagens pela TV Tribuna, TV Globo e foi colunista na Rádio JC News e Rádio Globo. O jornalista também é Mestre em comunicação e professor universitário.

Sobre o IBV – Desenvolve o projeto Cidadania LGBT iniciado em março/2017 contabilizando até o momento mais de 50 LGBTs atendidos. Foram diversas as demandas solicitadas: trâmites judiciais para o uso do nome social; intermediação para resolução de conflitos familiares devido a orientação sexual; suporte psicológico relacionados a sexualidade, entre outros. Os processos estão sendo acompanhados dia a dia pela equipe multiprofissional do IBV para solução.

O Instituto Boa Vista nasceu da ideia do fotógrafo e empresário Canário Caliari e da produtora cultural Maria do Céu. Sua sede funciona na Rua das Ninfas, 84-A, ao lado da boate Metrópole, de segunda-feira a sexta-feira das 14h às 20h. As visitas podem ser agendadas através do número: (81) 3072-9799.

Serviço
Roda Livre – Mídia e Homofobia
Terça-feira, dia 16 de maio, das 14h às 17h
Entrada Gratuita
Auditório da Faculdade dos Guararapes – Campus Boa Vista
Av. Gov. Carlos de Lima Cavalcanti, 155, Boa Vista (ao lado de Lucilo Maranhão)