Inscrições abertas para a Batalha do Pagode da 2ª edição do EPA

Serviços
30 de outubro de 2018
por Genilson Coutinho

Continuam abertas as inscrições para a Batalha do Pagode da 2ª edição do EPA! -Encontro Periférico de Artes. Serão dois dias de Batalha, 17 e 18 de novembro. No primeiro dia a fase classificatória no Espaço Xisto, nos Barris, e no segundo a final no Teatro Gregório  de Matos.  As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até o dia 04 de novembro, no site da ExperimentandoNus Cia de Dança.

Neste ano, o prêmio será dividido nas categorias masculinas e femininas. Os primeiros colocados das categorias receberão R$ 700,00. Os segundos colocados R$ 400,00. Devido a mudanças no regulamento, não haverá pagamento de pró-labore para os quatro semifinalistas.

  O EPA é um evento que busca a propagação e a visibilidade da arte negra e periférica. O encontro reúne diversas linguagens artísticas.  Um dos momentos mais esperado do evento é a Batalha do Pagode, que vai contar com a presença de 24 participantes.

  O encontro é mais uma ação da ExperimentandoNUS Cia de Dança. Com 10 anos de trajetória, a cia produz dança de forma independente, e abarca no seu currículo diversos trabalhos com foco nas inquietações do cotidiano. A CIA e o EPA contam com a direção do bailarino e coreógrafo Bruno de Jesus e da bailarina e produtora cultural, Inah Irenam.

  A inscrição para a Batalha do Pagode é gratuita e pode ser feita pelo site http://experimentandonus.wixsite.com/danca/epa. Serão selecionados apenas dançarinos solos. Não serão aceitas inscrições de duplas, trios ou grupos. O resultado da seleção será divulgado no dia 05 de novembro.

  O EPA 2018 vai acontecer de 12 a 18 de novembro, com programação no Espaço Xisto, Teatro Gregório de Mattos, Estação da Lapa, Escola de Dança da Funceb e no Colégio Nelson Mandela, em Periperi. Todas as atividades são gratuitas.

  O projeto foi contemplado pelo Edital de Apoio a Grupos e Coletivos – 2016. Tem apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia.

 Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais.