Inimigo dos Gays: GGB divulga lista do troféu Pau de Sebo

Sem categoria
27 de março de 2014
por Genilson Coutinho

Nos últimos 24 anos, o Grupo Gay da Bahia divulga o Oscar Gay, dando o Troféu Triângulo Rosa aos simpatizantes e o Troféu Pau de Sebo aos inimigos dos LGBT. Neste ano receberam o Triângulo Rosa, como amigos dos LGBT, entre outros o Governo de Pernambuco por promulgar a primeira lei contra a homofobia no Brasil, a Força Aérea Brasileira (FAB) por reconhecer como dependente o marido de um sargento homossexual, o Prefeito de Lins, SP, por se assumir homossexual, a dupla sertaneja Bofinhas Evangélicas por se assumirem lésbicas; as Torcidas Organizadas do Cruzeiro, Bahia, Corinthians, São Paulo, Flamengo, Grêmio, Internacional e Atlético/PR pela criação de movimento contra homofobia dentro e fora dos estádios.

Foram merecedores do troféu Pau de Sebo como inimigos dos LGBT, entre outros, a Ministra Ildeli Salvatti, por ter sido “moleca de recado” da Presidenta Dilma para arquivar no Senado o projeto de lei contra a homofobia, o Ministério da Saúde pelo veto ao kit de prevenção de Aids para adolescentes, a deputada Myriam Rios pelo projeto de lei contra a família homoafetiva, a cantora gospel Mara Maravilha e Agnaldo Timóteo por criticarem o casamento lésbico de Daniela Mercuri, o repórter Alexandre Garcia por defender o Pastor Marco Feliciano, os humoristas Rafinha Bastos e  Danilo Gentili, por declarações homofóbicas. O objetivo do Oscar Gay, em sua 24ª edição, é estimular as autoridades e vips a apoiarem a cidadania plena da população LGBT e erradicar a intolerância homofóbica.

Como acontece todos os anos, logo após o Oscar de Hollywood, o Grupo Gay da Bahia, entidade de utilidade pública municipal de Salvador, divulga pelo 24º ano consecutivo, o OSCAR GAY, premiando com o Troféu Triângulo Rosa as personalidades e instituições que em 2013 deram maior  apoio aos direitos humanos dos homossexuais,  outorgando o Troféu Pau de Sebo, aos inimigos da comunidade LGBT. O Troféu Triângulo Rosa relembra o distintivo utilizado pelos nazistas nos campos de concentração para identificar os prisioneiros homossexuais: mais de 300 mil gays foram presos por Hitler. Hoje o Triângulo Rosa tornou-se o símbolo internacional do orgulho gay LGBT.

Quanto ao Troféu Pau de Sebo, explica o historiador Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia: “Aproveitamos uma tradição irreverente do folclore brasileiro para mostrar o ridículo de ser inimigo dos LGBT: por mais que queiram espezinhar os gays e destruir o movimento de libertação homossexual, nunca chegam a seu objetivo, caindo  e se lambuzando no pau de sebo da intolerância. Mesmo que esperneiem, aumenta a   cada ano o número dos gays assumidos e o apoio dos simpatizantes, além das garantias legais a favor de nossa  cidadania.” Prova disso é que o número de simpatizantes homenageados é três vezes superior aos homofóbicos.

Segundo o fundador do GGB, o Prof. Luiz Mott, “infelizmente, nos últimos Oscars Gays, tem sido uma constante a presença de autoridades governamentais na categoria de inimigos dos LGBT, como a Presidenta Dilma, que levou o troféu Pau de Sebo em 2012 pelo veto ao Kit Anti-homofobia que deveria ter capacitado mais de 6 milhões de jovens contra a homotransfobia. A falta de políticas públicas governamentais é culpada pelo recrudescimento da  epidemia de ódio homofóbico: 40% dos assassinatos de LGBT do mundo ocorrem no Brasil, 313 homicídios no ano passado, 90 mortes somente nestes primeiros três meses de 2014!”

São Paulo é o estado com maior número de simpatizantes (9) , seguido de três destaques no Rio, Bahia, Rio Grande do Sul. O número de mulheres e homens simpatizantes e antipatizantes é equilibrado.

TROFÉU TRIÂNGULO ROSA

 

1.    Governo de Pernambuco pela aprovação da lei pioneira no Brasil que criminaliza a homofobia e por incluir nos Boletins de Ocorrência das Delegacias a informação sobre LGBT; Conselho Estadual de Segurança Pública do Pará, pela criação da Carteira de Identidade Social para travestis e transexuais; Força Aérea Brasileira (FAB) por reconhecer como dependente o marido de um sargento homossexual .

 

2.    Prefeito de Lins, SP, Edgar Souza, (PSDB) primeiro Prefeito do Brasil a se assumir homossexual; Dupla sertaneja Bofinhas Evangélicas, Aline & Duda, de Araraquara, SP, por se assumirem lésbicas; Atores da Globo José de Abreu (“Nilo” da Avenida Brasil) , por se assumir bissexual e o galã Rodrigo Simas  (“Alem do horizonte”) por se assumir gay.

 

3.    Ivete Sangalo, Preta Gil, Elke Maravilha, Letícia Sabatella, Fernanda Montenegro, Juca Chaves, por se manifestarem contra o projeto de cura gay e contra a presença do Pastor Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados; Vice prefeita de Salvador, Célia Sacramento, (PV)  pela participação na marcha das mulheres contra Pastor Feliciano; Câmara Municipal de Fortaleza pela aprovação de repúdio contra o pastor Feliciano; Câmara Municipal de Taquara, RS, pela revogação de apoio ao pastor Feliciano; Cartunista Simanca, do jornal A Tarde, Salvador,  pelas charges críticas ao Pastor Feliciano.

 

4.    Apresentador Datena, por defender a criminalização da homofobia e denunciar crimes contra LGBT; Jornalista Luis Carlos Prates, demitido da Rede Globo, por suas declarações contra os homofóbicos.

 

5.    Atriz Glória Pires, por declarar: “Se meus filhos forem homossexuais, quero que sejam felizes!”; Rabino Nilton Bonder, (Congregação Judaica do Brasil, RJ), pelo apoio à campanha pelo casamento civil igualitário.

 

6.    Torcidas Organizadas do Cruzeiro, Bahia, Corinthians, São Paulo, Flamengo, Grêmio, Internacional e Atlético/PR pela criação de movimento contra homofobia dentro e fora dos gramados; Cônsul da Bélgica, pela presença oficial na última Parada LGBT de São Paulo; Alunos Colégio Bandeirantes, (SP) por usarem saias em protesto contra o machismo e homofobia.

 

7.    Corregedoria Geral da Justiça de São Paulo pelo Provimento determinando o Registro de Casamento Homoafetivo junto aos Cartórios de Registro Civil; Corregedor Geral de Justiça do Piauí, Des. Francisco Paes Landim Filho, por determinar no registro de nascimento a inclusão do nome da mãe que doou óvulo para inseminação de sua companheira.

 

8.    Marcas comerciais Ponto Frio, Itaú,  Walmart Brasil,  Sonho de Valsa,  Halls Brasil, Bonafont e  Contigo por usar as redes sociais em apoio à união entre pessoas do mesmo sexo; Hoteis Mercure, por sua defesa do respeito à diversidade sexual ao ser vítima de ironia associando seu nome à lésbica Daniela Mercury; Natura, pela publicidade pró união homoafetiva “Toda relação é um presente”; Bahiagas pela inclusão no edital para atividades culturais e esportivas o combate à discriminação por “gênero e orientação sexual”; Companhia do Metrô do Rio de Janeiro pela Campanha MetrôRio sem homofobia; Google/Brasil por levar um carro de som na última Parada LGBT de São Paulo.

 

9.    Universidade Federal de Sergipe, pela instituição de carteira de identidade para travestis e transexuais; 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região por determinar ao Centro Universitário de Brasília, (UniCeub) indenizar professora  demitida por ser lésbica; 3ª  Turma do Superior Tribunal de Justiça (SP), por manter a decisão garantindo a um casal de lésbicas, a adoção conjunta de filha concebida por inseminação artificial; Câmara Municipal de Uberlândia pela aprovação de Lei institucionalizando o  Dia de Combate à Homofobia (17 de maio).

 

10. Colegiado Budista Brasileiro e 153 Pastores e líderes Protestantes das Igrejas Batista, Metodista, Presbiteriana, Escola Superior de Teologia, Koinonia, Luterana, Assembleia de Deus, Episcopal Anglicana, Brasil para Cristo, pelo Manifesto denunciando a homofobia e racismo do Pastor Marco Feliciano.

TROFÉU PAU DE SEBO

 

1.    Ministra Ideli Salvatti, por ter sido “moleca de recado” da Presidenta Dilma determinando o arquivamento do projeto de lei que equiparava homofobia ao racismo; Ministério da Saúde, pela proibição kit de prevenção de DST/Aids para adolescentes.

 

2.    Deputada Myrian Rios, (PSD/RJ) autora de projeto de lei homofóbico “Programa de resgate de valores morais, sociais, éticos e espirituais”; Deputado Antonio Albuquerque( PRTB/AL), por ter declarado que “homossexualidade é anomalia da natureza”.

 

3.    Vereador David Neto, (PTN/Feira de Santana, Ba), por declarar que “Daniela Mercury assumiu a homossexualidade por estar decadente e querer chamar atenção”;  Vereador Elizeu Dionizio (SDD/Campo Grande, MS),  da Assembleia de Deus Missões, por suas declarações homofóbicas no plenário da Câmara Municipal.

 

4.    PM e Guarda Municipal de Curitiba, pela perseguição aos gays frequentadores do Parque da Cidade Industrial.

 

5.    Promotor de Justiça Henrique Limongi, de Florianópolis, por ter cancelado duas vezes o acessos de casais lgbt ao registro de casamento, em franca desobediência ao Conselho Nacional de Justiça.

 

6.    Colégio Farias Brito, de Fortaleza, pela publicação de apostila se referindo à aproximação de dois meninos ou duas meninas como “repulsão”; Professora e  Diretor da Escola Estadual Antônio Carlos Natalino, Boa Vista, Roraima,  por terem declarado que um jovem de 17 anos “era nojento como todos os homossexuais”.

 

7.    Associação de Psicólogos e Profissionais Pró Família pelo apoio às frequentes declarações homofóbicas da psicóloga evangélica Marisa Lobo; Allysson Vidal Vasconcelos, do Instituto Plínio Correa de Oliveira (TFP), por defender a criminalização da homossexualidade.

 

8.    Cantora gospel Mara Maravilha pela declaração homofóbica sobre beijo gay e casamento de Daniela Mercury “Não concordo com essa aberração’, Cantor hap gospel Juninho Lutero por música/clip  Matéria Prima, onde condena a homossexualidade; Cantor Agnaldo Timóteo por criticar o casamento de Daniela Mercury e Malu.

 

9.    Repórter Alexandre Garcia, da Globo e Jornal da SBT,  por se posicionarem a favor do pastor Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados; Humorista Rafinha Bastos, do CQC, por frequentes piadas de conteúdo homofóbico e  Danilo Gentili, por negar o caráter homofóbico dos crimes contra a comunidade LGBT; Hotel Sauípe Premium, Ba, por discriminar hóspede gay com xingamentos de “frouxo e viadinho”.