Ingressos à venda para espetáculos do VIVADANÇA

No Circuito, Teatro
10 de abril de 2019
por Genilson Coutinho

Os ingressos para os espetáculos do VIVADANÇA Festival Internacional que acontecerão no Teatro Vila Velha estão à venda através do site Ingresso Rápido https://www.ingressorapido.com.br/ . O evento acontece entre os dias 16 e 29 de abril com uma programação intensa de espetáculos, oficinas, mesas de debate, mediação e rodadas de negócios. O Teatro Vila Velha é o principal palco do festival e abrigará 12 espetáculos e oito oficinas. A programação completa está disponível no site www.festivalvivadanca.com.br

DESTAQUES NA PROGRAMAÇÃO DO TEATRO VILA VELHA

Já na abertura, o moçambicano Edivaldo Ernesto apresenta “Tears” (16.04, 19h, Teatro Vila Velha, $20/$10). Nome de prestígio da dança mundial, Ernesto iniciou seu trabalho com o estudo da dança tradicional de Moçambique e tem se destacado pela criatividade nas coreografias e pelas colaborações com artistas de alto prestígio na dança contemporânea, como a alemã Sasha Waltz e o venezuelano David Zambrano. “Abrir o festival com um artista negro, africano, moçambicano que se destaca no cenário da dança contemporânea atual é não somente trazer um bom espetáculo ou um excelente workshop, mas também marcar a presença do pensamento negro que bebe da tradição e ocupa o seu espaço de interlocução e posicionamento com o mundo na atualidade”, diz Castro.

O francês de origem camaronesa James Carlès, coreógrafo importante por sua constante pesquisa sobre a diáspora negra, interpreta “Happi, La Tristesse du Roi”, coreografia de Heddy Maalem (24.04, 20h, Teatro Vila Velha, $20/$10). “James tem uma formação que une tradição e modernidade. Um mestre da dança aberto à criação de pontes entre culturas”, conta a curadora.

“Singspiele”, coreografia de Maguy Marin, referência da dança contemporânea mundial e uma das mais importantes coreógrafas da Nouvelle Danse Française, interpretada por David Mambouch (26.04, às 20h, Teatro Vila Velha, $20/$10) é um dos destaques da programação internacional. No espetáculo, um indivíduo se imagina e se desfigura, revezando-se em vestir todo tipo de roupa e acessórios num ritmo implacavelmente calculado, aparecendo e desaparecendo entre a aparência e a existência. Segundo Castro, “trazer uma produção de Maguy Marin é contribuir para um novo olhar sobre a dança e uma oportunidade para o público e, especialmente, para artistas conhecer de perto sua obra. Uma artista politicamente engajada e que traz questões importantes para pensar o mundo”.

A Batalha de Break traz ao festival o universo das danças urbanas, em uma grande celebração do Movimento Hip Hop (28.04, 13h, Teatro Vila Velha, $5). Coordenado por Ananias Break e Thina Reis, o evento inaugura este ano a Batalha de Popping como parte da programação, além de uma série de workshops voltados para o universo do Hip Hop. O evento conta também com Batalha de MCs, feira de artigos Hip Hop e apresentações artísticas. Para participar desta edição, foram selecionadas 16 duplas de B.Boys e B.Girls, vindas de Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Roraima, Paraíba, Distrito Federal, Paraná e São Paulo. O evento premia três duplas e convida vencedora do primeiro lugar a participar da batalha promovida pelo MOVA-SE Festival de Dança, em Manaus/AM, parceria criada em 2016 para estimular a troca entre artistas do break no Norte e Nordeste do país.

Em sua 10ª edição dentro do VIVADANÇA, a mostra Solos Stuttgart (27.04, 20h, no Teatro Vila Velha. $20/$10), idealizada e coordenada pelo diretor artístico fluminense Marcelo Santos, apresenta cinco solos premiados no Internationales Solo Tanz-Theater Festival de 2018, na Alemanha. Neste ano, artistas da França, Itália, Lituânia e Burkina Faso tomam o palco do Teatro Vila Velha, neste que é um dos momentos mais celebrados do festival.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO TEATRO VILA VELHA

INTERNACIONAL/”Tears”, de Edivaldo Ernesto (MOÇAMBIQUE) – Um homem entre o medo e a dúvida, incomodado por dúvidas irracionais. Nós assistimos a sua jornada através de regras que se tornaram papéis desconfortáveis. Dia 16.04, 19h, Teatro Vila Velha, $20/$10.

INTERNACIONAL/”Singspiele”, de Maguy Marin / David Mambouch (FRANÇA) – Singspiele é um espetáculo cativante que acontece diante de nossos olhos, em que um indivíduo se imagina e se desfigura, revezando-se em vestir todo tipo de roupa e acessórios num ritmo implacavelmente calculado, aparecendo e desaparecendo entre a aparência e a existência. Dia 26.04, às 20h, Teatro Vila Velha, $20/$10.

INTERNACIONAL/”Happi, la tristesse du roi”, de Heddy Maalem / James Carlès (FRANÇA) – Um jovem com uma dança precisa, hesitando em embarcar na grande disputa da arte. Dia 24.04, 20h, Teatro Vila Velha, $20/$10.

MOSTRA LATINA/”El cuerpo vacío”, da companhia mexicana Cuatro x Cuatro e coreografia de Shantí Vera, é uma obra que põe o corpo como primeiro território de encontro com o mundo. A apresentação acontece no dia 19.04, às 20h, no Teatro Vila Velha ($20/$10).

MOSTRA BAIANA / Aroeira – Com quantos nós se faz uma árvore, de Cristina Castro com o Balé Jovem de Salvador – Aroeira, essa árvore tão resistente e que vive tanto tempo acumulando camadas (seus nós) é a metáfora para as discussões sobre memória e tempo que a dramaturgia coreográfica pretende discutir. Dia 17.04, Teatro Vila Velha, 20h.

NACIONAL/”Mazombo”, da Cia Fohat (Goiás) – O espetáculo de dança contemporânea, dançado por 12 bailarinos (oito homens e quatro mulheres), completa os significados contidos na música e na poesia, que por sua vez dizem respeito ao processo de construção da identidade cultural caipira metropolitana. Dia 18.04, às 20h, Teatro Vila Velha, $20/$10.

NACIONAL/”Still Reich”, da Focus Cia de Dança (Rio de Janeiro) – O espetáculo reúne, em um programa único, peças criadas a partir de músicas do compositor contemporâneo americano, Steve Reich. Inspirado pelo vigor e construções musicais de suas composições, Alex Neoral apresenta quatro de suas obras neste espetáculo. Dias 20.04, às 20h, e 21.04, às 19h, Teatro Vila Velha, $20/$10.

BATALHA DE BREAK VIVADANÇA – A Batalha de Break traz ao VIVADANÇA o universo das danças urbanas, em uma grande celebração do Movimento Hip Hop. O evento inaugura este ano a Batalha de Popping como parte da programação, além de uma série de workshops voltados para o universo do Hip Hop. Acontecem também Batalha de MCs, feira de artigos Hip Hop e apresentações artísticas. Dia 28.04, 13h, no Teatro Vila Velha. $5 (valor único).

SOLOS STUTTGART – “Le Somnambule” (coreógrafo e intérprete: Kévin Coquelard/França); “Equal to Men” (coreógrafa e intérprete: Tonia Laterza/Itália); “Blank Spots” (coreógrafo e intérprete: Lukas Karvelis/Lituânia); “In dieser Frau” (coreógrafa e intérprete: Francesca Bedin/Itália); e “Maa Labyrinthe” (coreógrafo e intérprete: Jain Souleymane Kone/Burkina Faso). Dia 27.04, 20h, no Teatro Vila Velha. $20/$10.

Programação completa em http://www.festivalvivadanca.com.br/

Ingressos à venda: https://www.ingressorapido.com.br/venues/117-1