Independence gay: balizas fazem a festa da comunidade LGBT no 2 de Julho

Notícias
2 de julho de 2016
por Genilson Coutinho

(Foto: Genilson Coutinho)

Uma das festas cívicas mais importante para os baianos, a Independência da Bahia, que completa 192 anos na próxima quinta-feira, 2 de julho, costuma mobilizar a população de Salvador, que acorda cedo para acompanhar a saída do Caboclado do bairro da Lapinha.

Este ano a festa tem como tema “Guerreiras da Independência”, escolhido em homenagem às mulheres que participaram da luta pela libertação, a exemplo de Maria Quitéria, Joana Angélica e Maria Felipa. Além do ato cívico, protestos de movimentos socais e a presença  de políticos e autoridades, o percurso do cortejo tem uma série de desfiles de escolas, bandas.

E a comunidade LGBT não fica de fora desta festa da cultura baiana. Os shows das balizas gays costumam ser uma atração a parte, que seguem arrasando na frente das fanfarras com grandes performances, roupas coloridas e muito close e carão para delírio da comunidade LGBT que se concentra no famoso “Beco da pipoca do cantor Saulo”, local assim identificado durante o Carnaval a partir das 15h. (Nos bares do Lugar Comum )

A passagem das balizas já entrou para o calendário da comunidade LGBT, que espera  o cair da tarde para se concentrar, entre uma cerveja e uma paquera. A reunião já virou tradição do “independence gay”.

 

Confira a programação do desfile do 2 de Julho

Largo da Lapinha 6h – Alvorada e queima de fogos;

8h – Organização do cortejo cívico;

9h –  Hasteamento das bandeiras por autoridades, execução do Hino ao 2 de Julho pela banda da Marinha e entrega dos carros emblemáticos;

9h30 – Início do cortejo cívico em direção ao Pelourinho;

Praça Thomé de Souza 11h30- Recolhimento dos carros emblemáticos dos caboclos nos caramanchões da praça;

14h –  Organização do cortejo;

15h – Início do cortejo cívico;

Campo Grande  16h30 – Previsão de chegada dos carros e autoridades

Terreiro de Jesus  17h30 –  Abertura da exposição Índios no Museu de Arqueologia e Etnologia da Ufba