Ilê Ayê desfila no Carnaval 2017 com o tema “Os povos Ewé/Fon. A influência do Jeje para os afrodescendentes”

Música, No Circuito
25 de fevereiro de 2017
por Genilson Coutinho

Sem título

Com o intuito de contar a história da chegada do povo jeje aqui no Brasil, mitologias e segmentos da religião da sua nação, o bloco afro Ilê Ayê vai abordar no Carnaval 2017 o tema “Os povos Ewé/Fon. A influência do jeje para os afrodescendentes”. O mais belo dos belos aproveita a oportunidade para homenagear também alguns terreiros de candomblé pertencentes à nação jeje, incluindo o Ilê Axé Jitolú, no Curuzu, terreiro que deu origem ao Ilê Aiyê.

O tradicional bloco afro dará início ao seu Carnaval com a famosa saída na Ladeira do Curuzu no sábado (25) no circuito Mãe Hilda, trecho entre a ladeira do Curuzu e o Plano Inclinado da Liberdade. O cortejo acontece às 21h, com concentração a partir das 20h, começando pela cerimônia religiosa presidida pela mãe de santo Hildelice Benta, ialorixá do Terreiro Ilê Axé Jitolu, parando no Plano Inclinado e logo depois seguindo para o Corredor da Vitória, onde começa o seu primeiro desfile no circuito Osmar (Campo Grande), às 2h 2a madrugada do domingo (26), em direção à Praça da Piedade.

Em continuidade à sua programação carnavalesca, o Ilê Ayê, ainda no domingo (26), anima novamente as ruas do Curuzu com a Band’Erê – grupo infantil oriundo da escola de canto, dança e percussão da entidade – que irá puxar um bloco voltado às crianças da comunidade. Na segunda-feira (27) e terça-feira (28) de Carnaval, o mais belo dos belos retorna ao circuito Osmar com o som marcante da Band’Aiyê nas vozes de Iana Marucha, Iracema Kilyane, Marcos Costa e Jauncy Ojum Bará.

CRISE NA AVENIDA – Diante da atual crise financeira pela qual passa Ilê Ayê, o seu Carnaval, ainda que belo, sofre as conseqüências da situação que a entidade vive. Sem patrocínio, inclusive para a continuidade das suas atividades sócio-educativas em 2017– Escola Mãe Hilda e da escola de arte educação Band’Erê – , o bloco afro entra na avenida com menos alas de dança e integrantes do corpo de baile se dispondo a desfilar gratuitamente em apoio ao bloco. O mesmo acontece com o Bloco Erê, que é gratuito para os foliões mirins, e só está desfilando este ano graças ao apoio de fornecedores.

Ainda assim, com a ajuda do patrocínio da Bahiagás, Bahiatursa/Governo do Estado e da Caixa/Governo Federal o Ilê Aiyê participa do Carnaval de Salvador levando para as ruas uma banda composta por 50 percussionistas, alas de baianas e de dançarinas, além do carro da rainha que trará a recém eleita Deusa do Ébano 2017, Gisele Santos Soares, acompanhada das princesas Suana Emile Gois (2˚ lugar) e Juliana da Silva Conceição (3˚ lugar). Como acontece todos os anos, os foliões do Ilê se encantarão com a beleza e repertório que celebram a história do mais antigo bloco afro do Brasil, que desfila pela 43ª vez na maior festa de rua do planeta.

 

SERVIÇO:

1º Dia – 25/02/17 (Sábado)

Circuito Mãe Hilda.

Primeiro desfile: Concentração no Curuzu (20h às 21h), seguindo até Plano Inclinado da Liberdade.

Segundo desfile: a partir de 2h da madrugada de domingo (26/02), saindo da Vitória  em direção a Piedade.

2º Dia – 26/02/17 (domingo)

Circuito Mãe Hilda

Com a Band’Erê, a partir das 17h.

3º Dia – 27/02/17 (Segunda)

Circuito  Osmar

Concentração às 18h na Araújo Pinho (Canela)

Saída prevista: 19h

4º Dia – 28/02/17 (Terça-feira)

Circuito  Osmar

Concentração às 18h na Araújo Pinho (Canela)

Saída prevista: 19h