Hospital das Clínicas é 1º da Bahia habilitado a realizar processo transexualizador pelo SUS

Comportamento, Social
6 de setembro de 2016
por Genilson Coutinho
O Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), conhecido como Hospital das Clínicas, é a primeira unidade de saúde habilitada para realizar o processo transexualizador via Sistema Único de Saúde (SUS) na Bahia. O deferimento foi publicado no Diário Oficial do Estado do dia 2 de setembro e engloba as modalidades hospitalar e ambulatorial, e vai realizar uma cirurgia por mês.
De acordo com a endocrinologista Luciana Barros, responsável pelo serviço, a ideia é que os atendimentos sejam iniciados ainda em outubro deste ano. “Ainda estamos construindo. Na próxima semana, vamos começar as capacitações, desde porteiros e seguranças até enfermeiros e médicos. É necessário atender esses pacientes da maneira correta”, afirmou a profissional ao citar o preconceito sofrido por transgêneros e transexuais.
Ainda em construção, o serviço deve receber pacientes a partir de agendamentos por meio da atenção básica. “Mas isso ainda está sendo discutido, por conta das dificuldades da população trans para ser atendida na atenção básica. Ao mesmo tempo, não pode operar totalmente de portas abertas, para evitar filas gigantescas, como havia anteriormente”, explicou.
O processo transexualizador já é realizado por meio do SUS desde agosto de 2008. Para procedimentos que incluem acompanhamento multiprofissional e hormonioterapia, o paciente precisa ser maior de 18 anos.Já para intervenções cirúrgicas, a idade mínima é de 21 anos.
A portaria do Ministério da Saúde que autoriza a realização deste tipo de cirurgia no Brasil também define que, para realização do processo transexualizador, são necessários pelo menos dois anos de acompanhamento terapêutico. Candidatos à cirurgia que já passaram por esta etapa podem se candidatar imediatamente à realização do procedimento. Ainda assim, o Hospital das Clínicas oferecerá suporte a todo o processo: desde o atendimento psicoterapêutico até a hormonoterapia, que deve ser realizada para o resto da vida.