Homenagem inédita a percussionistas baianos dará o tom da folia no Carnaval do Pelô

Sem categoria
1 de março de 2011
por Genilson Coutinho

De 03 a 08 de março de 2011 acontece o Carnaval do Pelô, iniciativa do Governo do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (SecultBa), do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e do programa Pelourinho Cultural que preparou para a folia em 2011 uma festa diferente, que atende principalmente àqueles que não se identificam com o agito das grandes avenidas. Com atrações também voltadas para o público infantil, acesso fácil, estacionamentos, segurança e infraestrutura de seus restaurantes e bares, o Pelourinho sedia uma festa tranquila e diversa.

Este ano o Pelourinho está vestido em homenagem à percussão, tema do Carnaval na Bahia, com uma decoração assinada pelo artista plástico Ray Vianna, vencedor do concurso público realizado para eleger o criador das peças. O trabalho realizado traz um colorido exuberante às ruas do Centro Histórico, explorando tridimensionalmente a volumetria de instrumentos de percussão como caxixis, xequerês, timbaus e surdos em palcos, pórticos, cordoalhas totens e penduricalhos. Além disso, dois grandes nomes do ritmo ganham destaque tanto na decoração como na programação: Mestre Prego e Neguinho do Samba, fundadores, respectivamente, das bandas de percussão Meninos do Pelô e Didá, dois projetos que transcendem a música e são também socioeducativos.

Uma das novidades para a folia momesca do Pelô em 2011 será o show “Batuque no Pelô” que abrirá a festa na noite da quinta-feira (03), às 20h30, reunindo três gerações de talentosos percussionistas baianos além de integrantes da Didá, do Filhos de Gandhy, dos Meninos do Pelô e do cantor Gerônimo. Além disso, a exposição “Percussionistas, percursos e percussões”, aberta durante os dias de carnaval, das 13h às 17h, na sede do Programa Pelourinho Cultural, Casa 12, Largo do Pelourinho, mostrará instrumentos percussivos que contam a história de algumas carreiras do ritmo na Bahia.

Para Simone Reis, diretora do Programa Pelourinho Cultural, a homenagem do carnaval de Salvador à percussão em 2011 é mais que merecida e daí surgiu a ideia de fazer uma abertura do Carnaval do Pelô com um show dedicado ao ritmo. “A percussão é a nossa música ancestral, então pensamos em fazer um espetáculo que daria o tom do Carnaval do Pelô. Aproveitamos então o ensejo para homenagear os artistas que fizeram e fazem a percussão da Bahia”, afirma Simone.

Diversidade de atrações, serviços e acessos – Com investimento exclusivo do Governo da Bahia da ordem de R$ 1,6 milhão, o Carnaval do Pelô terá, ao todo, 95 atrações, 200 horas de música nos cinco dias de festa, com bandinhas, baterias, bonecões, carnaval infantil e shows com grupos e artistas renomados como Nação Zumbi e Lateral Elétrica com Otto, além de, neste ano, apresentação especial em homenagem às mulheres, com grandes artistas baianas, no dia 08 de março.

O Carnaval do Pelourinho oferece ainda as saídas de famosos afoxés e blocos afros da Bahia, como os Filhos de Gandhy e o Olodum, pelas ruas, praças e largos do Pelourinho, com o luxo de ter como cenário da festa o casario dos séculos 17, 18, 19 e 20, reconhecido como a maior herança da arquitetura colonial-barroca europeia nas Américas, tombada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Além disso, a área do Carnaval do Pelô dispõe de 05 bancos 24 horas, postos de saúde, postos dos bombeiros, juizado de menores e polícia militar, 1.000 vagas de estacionamentos privados, 3.000 mil vagas em zonas azuis da prefeitura, 32 ruas e 07 grandes avenidas para acesso imediato ao Centro Histórico de Salvador, além de 96 linhas de ônibus das imediações do centro Antigo de Salvador que servem a todos os bairros da capital baiana.

“Percussionistas, percursos e percussões” – Na exposição que ficará aberta de 04 a 08 de março na sede do Pelourinho Cultural, serão apresentados diversos instrumentos percussivos do acervo pessoal das três gerações de percussionistas que se apresentarão no “Batuque no Pelô”, o grande show de abertura do Carnaval na noite do dia 03. Este desdobramento pedagógico do Carnaval do Pelô sinaliza uma nova diretriz da Secult-Ba para a cultura baiana. A intenção é não apenas oferecer opções culturais de qualidade, mas também permitir a perpetuação do conhecimento sobre aquelas manifestações culturais. No caso específico da exposição, a ideia é compartilhar com o público a história dos instrumentos, de seus criadores e tocadores e a inventividade daqueles artistas.

Através dessa iniciativa do Pelourinho Cultural, do IPAC e da Secult-Ba, pretende-se dar voz aos percussionistas para que eles sejam intérpretes de sua própria experiência sociocultural. “A perspectiva da atual Secretaria de Cultura do Estado da Bahia tem sido de que a cultura em nosso Estado vai além do oferecimento de bons espetáculos e exposições, mas abrange também a possibilidade de artistas e público criarem ferramentas para um conhecimento sobre a própria cultura”, afirma Simone Reis, diretora do Pelourinho Cultural.