Guarda que agrediu ator em de SP é indiciado por homofobia e lesão corporal

Notícias
17 de fevereiro de 2018
por Genilson Coutinho

João Pedro Moreira postou no Facebook relato e imagens do ataque que sofreu no shopping Pátio Higienópolis (Foto: Reprorudução/Facebook)

O Guarda Civil Municipal de Guarulhos, que agrediu um jovem no banheiro do Shopping Pátio Higienópolis, no Centro da capital paulista, se apresentou à polícia nesta sexta-feira (15). Ele foi indiciado por homofobia e lesão corporal.

Segundo a vítima, o ator João Pedro Medeiros, de 23 anos, contou à polícia que o guarda deu coronhadas na cabeça dele e dizia palavras de ódio contra os homossexuais. Já segundo o guarda, ele disse que foi atacado pelo jovem e que apenas se defendeu.

A arma dele vai ser encaminhada para a perícia. A Prefeitura de Guarulhos disse que o comandante da corporação e a Corregedoria do Município estão acompanhando o caso.

Caso

João Pedro Medeiros foi insultado e agredido na tarde da última segunda-feira (14) quando usava o banheiro do Shopping Pátio Higienópolis. O caso foi registrado no 77º Distrito Policial, em Santa Cecília, que instaurou inquérito para apurar o crime. Imagens de câmeras de segurança deverão ajudar na investigação. O golpe provocou um corte e sangramento, conforme imagens publicadas pelo rapaz em seu perfil no Facebook.

Segundo o rapaz, as ofensas começaram quando ele usava o mictório. “Tinha dois caras usando os mictórios do lado do que eu estava usando quando ele [o agressor] saiu da cabine atrás de mim, olhou para o lado dos mictórios e falou: ‘Esse viado do caralho fica aqui no banheiro… Tem tudo que morrer, esses bandos de filho da puta’. Só pensei ‘que homofóbico babaca’, e imaginei que ele tivesse saído do banheiro”, contou.

Ao sair da área do mictório e ir em direção à pia, João percebeu que o homem permanecia no banheiro e se aproximava dele. “Virei pro lado e levantei os braços e os ombros pra questionar por que ele estava olhando. Nessa hora ele falou: ‘o que você tá olhando, seu viado do caralho?’. Em seguida, sacou a arma e, do jeito que pegou, bateu na minha cabeça’, disse. ‘Ele estava com um olhar agressivo, parecia estar sob o efeito de cocaína.’

Segundo João, ao ser atingido pela coronhada, ele sentiu algo como um “choque elétrico”, “como se fossem vários golpes”, mas não consegue precisar quantas vezes o agressor o golpeou.

O rapaz disse não ter visto nenhum segurança entre o banheiro e a porta de saída do shopping. Ele correu até o lado de fora do estabelecimento, gritando, quando uma médica o abordou e o acalmou até que ele fosse levado para o ambulatório do centro comercial.

 

  • Herbert Fraga

    Que horror! Coisa de filme de terror mesmo.