Grupo reivindica ambulatório transexualizador em Salvador

Comportamento, Social
28 de março de 2017
por Genilson Coutinho
750_20173288466676

Ambulatório deve funcionar no Hospital Universitário Prof. Edgard Santos (Edilson Lima | Ag. A Tarde)

O grupo Famílias pela Diversidade, que congrega mais de 30 famílias com integrantes LGBT, elabora uma carta para cobrar dos governos federal e estadual a implantação do Ambulatório Transexualizador do Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O novo equipamento foi anunciado em setembro do ano passado, quando a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) publicou no Diário Oficial do Estado uma resolução onde autorizava a habilitação do Hupes para a instalação do ambulatório. No entanto, ainda faltavam a habilitação e o credenciamento do Ministério da Saúde para que os atendimentos fossem iniciados, mas que, até hoje, não foram concedidos. Atualmente, o hospital depende, ainda, de um alvará da Vigilância Sanitária para que o ambulatório possa ser instalado.

“Há uma portaria de 2009, que diz que é preciso ter ambulatório transexualizador. Encampamos essa luta desde 2014. O Hupes fez treinamento dos profissionais e foi dito que funcionaria em outubro de 2016, mas, até agora, não temos nada”, afirma a coordenadora do grupo, Inês Silva, em entrevista ao jornal A Tarde.

A carta, segundo integrantes da entidade, será entregue nos próximos dias. “Parece que nunca foi uma prioridade do governo que finge que a população LGBT não existe”, acrescenta a coordenadora do grupo.