Grupo promove beijaço em Feira de Santana após “moção de censura” a beijo gay

Notícias
14 de abril de 2015
por Genilson Coutinho
(Foto: Danillo Freitas/ Acorda Cidade)

(Foto: Danillo Freitas/ Acorda Cidade)

Um grupo de gays e lésbicas protestou em frente à Câmara de Vereadores de Feira de Santana, na manhã desta terça-feira (14), contra a “moção de censura” ao beijo gay da da novela “Babilônia”, protagonizado pelas atrizes Fernanda Montenegro e Nathália Timberg, aprovado pela Casa.

O projeto, proposto pelo vereador Marcos Lima (PRP), foi aprovado no último dia 1º por unanimidade. Segundo o vereador, a novela tem “clara intenção de afrontar os cristãos em suas convicções e princípios” e que esta “outra forma de amar” apresentada contraria “nossos costumes, usos e tradições”.

Os manifestantes seguraram faixas em que pediam respeito e condenavam a homofobia. “Homoffobia”, “Juntos contra a LGBTfobia” e “Queremos moção de desculpas”, eram alguns dos dizeres presentes nos cartazes. Um deles, ainda ironizava: “Cadê moção de repúdio ao transporte público de Feira?”.

O estudante de psicologia Danilo de Jesus beijou, dentro da galeria da Câmara, o namorado Mauricio Martins, com que se relaciona há nove meses. “Reivindicamos um pedido de desculpas”, afirmou. Em entrevista ao Acorda Cidade, o vereador Marcos Lima disse que a manifestação do grupo natural, mas o local escolhido foi inapropriado. “Isso é uma afronta a sociedade. De maneira nenhuma irei voltar atrás, estamos cumprindo a lei, tenho o direito de manifestar”, concluiu.

(Foto: Danillo Freitas/ Acorda Cidade)

Em discurso na Câmara, a vereadora Eremita Mota (PDT) manifestou apoio ao protesto de gays e lésbicas que se fizeram presentes na galeria do Legislativo Feirense. “Acho que nós devemos ter o respeito por cada segmento da nossa sociedade. Cada um tem o seu direito de pensar, discernir e escolher qual o caminho deve seguir”, avaliou. Ela destacou ainda que não deve haver julgamento. “Não devemos julgar, não tenho nada contra quem fez a moção, a votação aconteceu, mas o direito de escolha deve ser respeitado”, ressaltou.

Foto: Danillo Freitas/ Acorda Cidade)

Aprovação

Na quarta-feira (8), o vereador Edvaldo Lima (PP) usou a tribuna para parabenizar Lima pela moção de censura. “Parabenizo o discurso do vereador Marcos Lima. Eu repudio qualquer ato que vá de encontro à família. E não tiro uma palavra do que estou falando aqui, a Rede Globo se quiser que me processe. Sou filho de um homem e uma mulher e nunca vi contar que duas pessoas do mesmo sexo possam gerar filhos. Estas pessoas serão cobradas depois”, afirmou.

O vereador usou como exemplo de conversão a modelo Andressa Urach, lendo relatos de que ela era viciada em drogas, brigou com o pai e se envolveu com relacionamento gays, mas agora estaria em busca de um marido.
Já o vereador José Carneiro (PSL), líder do Governo da Casa, disse que há liberdade de religião e de orientação sexual no Brasil. “As autoridades, tanto sexuais quanto religiosas, precisam refletir, porque está havendo uma guerra entre religião e homossexualidade”, pontuou.

No dia da votação, ele sinalizou que quem não gosta da novela pode não assistir ao canal. “Vejo as pessoas repudiando e assistindo. Se não assistem, como sabem das cenas?”, disse. Mesmo assim, ele votou a favor – a moção foi aprovada com unanimidade.

*Do Acorda Cidade