Grupo Gay da Bahia vai pedir mais agilidade na apuração do crime de Rodrigo Lapa

Notícias
5 de janeiro de 2016
por Genilson Coutinho

(Foto: Reprodução/Facebook)

A Polícia Civil continua  investigando a morte de Rodrigo Lapa, encontrado morto em seu  apartamento no Condomínio dos Comerciários, em Brotas, no último dia 30 de dezembro. De acordo com informações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o caso está sendo investigado pela titular da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), delegada Mariana Ouais.

Segundo Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), o crime tem características de homofobia. “Alguns amigos nos relataram que ele tinha preferência por se relacionar com pessoas da mesma orientação sexual. Os fatos indicam que ele foi torturado. Antes de morrer ele foi queimado, ele sofreu uma perfuração nas costas. Estava sentado em uma cadeira quando foi encontrado. Acredita-se que o crime foi no dia 28”, pontou Cerqueira .

Uma reunião com representantes do GGB, com a titular da Superintendência de Direitos Humanos da Secretaria de Justiça e Desenvolvimento Social (Sedes), secretária Anhamona de Brito, além de representantes da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP) e familiares de Rodrigo foi reagendada para  próxima quinta-feira (7), na Secretaria de Justiça e Desenvolvimento Social.