Grupo Gay da Bahia emite nota sobre pagamento da 17ª Parada

Comportamento, Social
17 de janeiro de 2019
por Genilson Coutinho

Foto: Genilson Coutinho

O Grupo Gay da Bahia (GGB) divulgou nesta quinta-feira (17) uma nota de esclarecimento sobre o pagamento dos cachês dos artistas que trabalharam durante o evento no ano passado.

Confira a nota abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA DIRETORIA GGB/ PEDIDO DE RESPOSTA

Nessa quarta-feira, (16), foi veiculado em sites e redes sociais, matéria/nota informando que o Grupo Gay da Bahia (GGB) não pagou os cachês das atrações artísticas que atuaram na 17ª Parada do Orgulho LGBT da Bahia, que ocorreu no dia 9 de setembro de 2018. Considerem-se artistas bailarinos, coreógrafos, músicos, cantores, bandas musicais, iluminadores, montadores, prestadores de serviços entre outros profissionais.
A bem da verdade, é importante esclarecer que repasses de verbas por parte de órgãos públicos vem sendo reduzidos a cada ano, por motivos diversos, que fogem da nossa compreensão. O GGB sempre zelou por uma boa relação com os seus fornecedores ao longo de todos esses anos da realização do evento, onde existe uma intrínseca relação de confiança.
E os custos para a manutenção desse evento histórico e belíssimo, com 17 anos de realização no nosso Estado, se elevam em razão da ampliação do número de participantes e de atrações musicais e artísticas. A Parada LGBT da Bahia é uma das mais ricas manifestações em atrações culturais e diversidade de sons, no calendário de festas de Salvador.
Todos esses anos, buscamos reverenciar a arte do transformismo, possibilitando espaço nobilíssimo para que os artistas da noite se apresentem à luz do dia, para a própria comunidade, famílias e tantos outros simpatizantes que afluem a esse evento.
Nos últimos anos, os movimentos sociais em regra, com as modificações das leis brasileiras que regulamentam nossas atividades, e que vem cobrando cada vez mais documentos, inscrições, burocracias, resultando em altos custos com contadores, advogados e eventualmente outros profissionais, o que tem inviabilizado o funcionamento de várias organizações do movimento social baiano e nacional.
Não obstante, tais dificuldades, cabe-me informar que estamos buscando com parceiros, inclusive com o poder público, orientações e parcerias para honrar todos os compromissos assumidos, inclusive para organização dos próximos eventos. Assim, pedimos aos nossos colaboradores que se acalmem e nos ajudem a cobrar dos financiadores o comprimento do compromisso firmado em patrocinar a parada LGBT de Salvador! É importante preservar o nome do evento e as organizações sociais envolvidas. Esperamos e continuamos batalhando para que em breve tudo seja solucionado, como ocorreu nos anos anteriores.

Marcelo Cerqueira
Presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB).