GGB completa 36 anos e homenageia amigos e colaboradores no Beco dos Artistas

Notícias
29 de março de 2016
por Genilson Coutinho

Militância LGBT /Foto: Genilson Coutinho

Os 36 anos do Grupo Gay da Bahia (GGB) serão celebrados em grande estilo no dia 15 de abril, ás 20h, no Bar Xampoo, no Beco dos Artistas, onde será entregue o “Troféu GGB 36 anos”, que homenageará personalidades e amigos que contribuíram com a luta pelo direitos dos LGBT.

Na noite, além da homenagem, as estrela do transformismo farão um grande show para celebrar a data. Entre os homenageados estão o governo da Bahia e a Superintendência dos Direitos Humanos (SEDES) Pela atuação na condução dos preparativos funerais da artista e ativista Marina Garlen, a Dra. Anhemona de Brito receberá menção honrosa. Representando o Grupo de Mães pela Diversidade estará presente no evento Inês Santos, coordenadora da Bahia no combate à homofobia no âmbito familiar o laboratório de transexualidade junto da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Hospital Edgar Santos, CHEGANDO A ZERO – Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids/ VIH/SIDA (UNAIDS/ONUSIDA). Dr. Michel Sidibé e Dr. Fabio Mesquita, do Ministério da Saúde, diretor do Departamento Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais. Campanhas de prevenção do HIV Aids junto as populações vulneráveis.

Histórico

Foto: Arquivo/GGB

No dia  28 de fevereiro de 2016 o Grupo Gay da Bahia (GGB) completou 36 anos de ativismo em no combate a homofobia e promoção da cultura LGBT na Bahia e no Brasil,  uma característica do grupo é de sempre sair na dianteira na defesa da causa, abrindo espaço social e de palavras junto aos segmentos da sociedade ajudando quebrar paradigmas em relação a orientação sexual homossexual.

O GGB foi fundado aos 28 de fevereiro de 1980 na sede do jornal anarquista o Inimigo do Rei por um grupo de intelectuais e jornalista, sendo Luiz Mott, professor o pioneiro que deu segmento a instituição, registrando como pessoa jurídica em 1983. Há época da fundação, segundo Luiz Mott, o grupo enfrentou problemas para possuir o registro de entidade do movimento social, após preparar o estatuto social da entidade quando na hora do registro o Cartório solicitou que fosse retirada uma autorização junto a Polícia Federal, alegando que não havia meios para realizar o registro. Desse, modo, graças a uma liminar judicial o Cartório recebeu os documentos institucionais da entidade.

A professra Beth Dantas está na lista dos homenageados/Foto: Genilson Coutinho

O GGB é a mais antiga entidade em funcionamento na América Latina e figura ainda na relação das mais antigas do mundo. Em três décadas, teve papel importante no inicio da epidemia do HIV na Bahia e no Brasil, sendo membro da Comissão de Aids do Ministério da Saúde, eleito melhores praticas de prevenção junto aos LGBTs, gays em especial. Heroicamente combateu nas duas primeiras décadas sozinho o que na época chamava-se de preconceito e hoje de homofobia.

Graças a determinação de seu fundador Luiz Mott, e as ações de impactos realizadas a entidade ganhou fama que extrapolou as fronteiras do Brasil. Nas ações destaca-se  por realizar o dossiê anual de crimes contra LGBTs, uma catalogação criteriosa e analise dos crimes homofobicos no Brasil, a coleta abrange todos os Estados da Federação, antes esse material era sistematizado manualmente, hoje o nosso site, Quem a homofobia matou hoje, faz a divulgação diária dos crimes a partir das notícias publicadas por jornais regionais. Os dados servem para orientar politicas publicas em relação ao combate à homofobia.

Dr. Fábio/Foto: Genilson Coutinho

Marcelo Cerqueira, presidente atual, considera que o trabalho realizado pela entidade em épocas onde havia tanto preconceito e que continua desenvolvendo até os dias atuais eleva a entidade como patrimônio imaterial LGBT da Bahia e do Brasil. O GGB contribui diretamente para a manutenção da cultura da homossexualidade e o respeito as suas expressões públicas e saudáveis. Na opinião do cantor Caetano Veloso, “É o Orgulho da Bahia”. O vai ser o padrinho da 15ª Parada Gay que acontece no segundo domingo de setembro próximo, caso aceite o convite.

Neste ano, o GGB ao celebrar seus 36 anos,  concede o título de “Membro honorário do Grupo Gay da Bahia” a personalidades brasileiras e estrangeiras como forma de reconhecer suas contribuições à causa da diversidade.  A honraria foi instituída pela entidade em 28 de agosto de 2005 a entrega será, a principio no dia 11 de março na sede da entidade no Centro Histórico.

Marcelo Cerqueira/ Foto: Genilson Coutinho

Homenagem especial Troféu 36 anos

  • Governo da Bahia, (SEDES) Superintendência dos Direitos Humanos. Pela atuação na condução dos preparativos funerais da artista ativista Marina Garlen, menção honrosa, Dra. Anhemona de Brito.
  • Grupo de Mães pela Diversidade, Inês Santos, coordenadora da Bahia. Combate a homofobai no âmbito familiar. Atuação frente a instituição do laboratório de Transexualidade junto a Universidade Federal da Bahia, Hospital Edgar Santos.
  • CHEGANDO A ZERO – Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids/ VIH/SIDA (UNAIDS/ONUSIDA).Dr. Michel Sidibé.
  • Fabio Mesquita, Ministério da Saúde, Diretor do Departamento Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais. Campanhas de prevenção do HIV Aids junto as populações vulneráveis.
  • Infecciologista Dr. Badaró, subsecretário da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia. Bloco Folia e prevenção voltado a prevenção do HIV/Aids no carnaval. Pela realização do CEDAP- Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa.
  • Presidente Dr. Isaac Edington, Prefeitura do Salvador, Empresa Salvador Turismo, Saltur. Apoio ao Carnaval da diversidade 2016.
  • Cantora Aline Rosa, pela iniciativa Chá Rosa e atitude no carnaval de 2016. Projeto “Aline Rosa na terra do amor”. Ela usou a palavra “pussy” uma expressão comum ao movimento feminista. Abordou temas como exclusão e questionamentos do lugar da mulher artista e foliã na folia. Falou de autonomia, de empoderamento feminino, de poder de decisão, inclusive sobre o uso do corpo. Serve de reconhecimento e sugestão de a artista refletisse essa posição também  nas letras de música que canta.
  • Deputada Fabiola Mansur, pela atuação na formulação de politicas públicas para os LGBTs;
  • Bruna Menezes, 23 anos, mulher trans, moradorano bairro de Pernambués, símbolo da luta contra a transfobia. No dia 13 de março ela foi barbaramente espancada por dois homens, quando andava acompanhada de sua mãe e companheiro para uma atividade de lazer. Bruna teve diversas escoriações nas partes das coxas e braços, ainda o seu companheiro foi alvo de um tiro de arma de fogo.
  • TV-E Brasil, IRDEB. Programa Estação Plural, primeiro programa LGBT na TV aberta Brasileira.

Honraria

Outorga do título de membro honorário do Grupo Gay da Bahia (GGB)
Eduardo Michels, RJ
Vilson Caetano, BA
Duzinho Nery, BA
Emilio Valu, BA
Valmick Brás, BA
Ilza Barbosa, BA
Elson Carvalho, BA
Mauricio Tavares, BA
Ibrahim Sundiata, USA
Arão Capinan, BA
Elizabeth Carvalho Dantas, BA

Serviço:
36 anos de fundação do Grupo Gay da Bahia (GGB). Homenagem ao fundador Decano, Comendador da ordem do Mérito Cultural, Prof. Dr. Luiz Roberto de Barros Mott.
Local: Beco Ocupado. Ocupação Shampoo, Thiago Romero.
Dia 15 de abril, sexta-feira, ás 20h.
Direção: Marcelo Cerqueira
Apresentação: Michele Lorem, Bia Mathieu Semanovischi
Shows: Bia Matier, Saratielle Koslowysky, Michele Lorem e Gina de Mascar
Apresentação artística de dança
Gratuito

  • Zeca Facchinetti

    É de graça?

    • Zeca Facchinetti

      Tem algum valor, melhor perguntar, rs?

      • Orion

        É bom saber se será aberto ao público.