Gratuito : Oswaldo Montenegro promove bate papo e exibição do seu filme “Solidões” em Salvador

Sem categoria
27 de março de 2014
por Genilson Coutinho

Premiado e elogiado pela crítica com Léo e Bia, seu primeiro longa-metragem, Oswaldo Montenegro lança em Salvador, dia 01 de Abril, no Cine Teatro SESC Casa do Comércio, seu segundo filme, Solidões, que conta com Vanessa Giácomo e o próprio Montenegro no elenco. A exibição será gratuita, com retirada de ingressos na bilheteria do teatro, de 25 a 30 de março ou no dia do evento até duas horas antes da exibição. O evento é sujeito à lotação do espaço e após a sessão o diretor Oswaldo Montenegro participará de um bate-papo com o público.

 Realizado com recursos próprios e a Coprodução do Canal Brasil, “Solidões” vai do riso ao drama, do musical ao documentário, da comédia romântica à sátira cruel, em várias histórias que se ligam, se encontram.

“Seria muito difícil apontar a principal qualidade que faz do filme “Solidões” uma obra tão especial. É um daqueles raros filmes que continuam conosco durante muito tempo, mesmo depois de termos deixado a sala de cinema. Talvez o motivo disso tudo resida no fato de Oswaldo Montenegro saber, como ninguém, despertar as emoções e sentimentos muitas vezes esquecidos dentro de nós, tanto através de sua música como de seu texto. Mostrando um profundo conhecimento da linguagem cinematográfica, a ponto de subvertê-la com extrema coerência, Montenegro nos mostra os vários aspetos da solidão através de histórias muito bem costuradas e que jamais se tornam episódicas, graças à força de seu texto e a uma montagem brilhantemente caótica. Com uma bela fotografia capaz de retratar, com igual eficiência, ambientes intimistas e as paisagens mais exóticas do sertão, Oswaldo nos prova que técnica e emoção podem caminhar perfeitamente juntas, e nos presenteia com esse que é, sem dúvida alguma, um dos filmes mais originais dos últimos anos”, escreveu Paulo Henrique Fontenelle, premiado diretor dos filmes Loki e Dossiê Jango.

Vanessa Giacomo, além de narrar o filme, interpreta uma mulher que perde a memória e rejeita sua vida anterior se recusando, a partir daí, a ter contato físico ou emocional com qualquer ser humano. Oswaldo Montenegro, no papel do “demônio”, enfrenta sua solidão andando pelo mundo, morrendo de saudade de Deus. Um diabo sádico, divertido, que sai por aí oferecendo infinitas possibilidades aos solitários, caso aceitem suas inusitadas condições e exigências.

Oswaldo em cena de Solidões: músico compôs a trilha sonora, escreveu o roteiro e bancou a produção

Há ainda muitos outros personagens, muitas outras solidões: o incrível “Palhaço Cocada”, de 95 anos, interpretando a si mesmo (o palhaço mais velho do Brasil) em momentos engraçados e dilacerantemente ternos. Uma mulher que, num bar, espera até de manhã por seu namorado, sem se convencer de que ele não vem. Um cantor que sai de Minas, certo de fazer sucesso no Rio de Janeiro e vira músico de rua. Um sertanejo que abandona seu ninho achando que vai “ganhar o mundo” e ser feliz. Todos misturados à solidão de atores fazendo testes e tentando entrar para esse filme, num painel divertido e cruel, em que uma roda gigante gira em grande velocidade, mantendo todos absolutamente sós.

As músicas de Oswaldo Montenegro permeiam e ligam esses episódios, como rios que vão desembocar num único final: a conclusão clara de que 90% das atividades humanas existem para diminuir ou suavizar a solidão e de que só o afeto pode trazer algum resultado. “Solidões” foi rodado nas dunas de Arraial do Cabo (RJ), no cerrado de Brasília, no agreste de Pernambuco, no Rio de Janeiro e em Piraí (RJ).

“O filme é de uma plasticidade incrível, muito criativo, e a trilha musical é 10! Bom demais”. Roberto Menescal (músico, compositor, produtor).

“Solidões” é bem dirigido, bem fotografado, muito bonito, tem canções lindas; uma história que envolve a gente”. Geraldo Azevedo (cantor e compositor).

“Solidões, de fato, não é um filme comum”. Ricardo Diniz, crítico.

“A mistura da religiosidade, situações pitorescas e o medo da solidão fazem do filme algo único, bem diferente do que se vê em cinema. O resultado é surpreendente e divertido”. Cláudia Felício, jornal O Fluminense.

SERVIÇO

O quê: Encontro com Oswaldo Montenegro: bate-papo e exibição do filme “Solidões”

Quando: 01 de abril (terça-feira), às 20h30.

Onde: Teatro SESC Casa do Comércio – Av. Tancredo Neves, 1.109, Edifício Casa do Comércio, 1º andar – Caminho das Árvores.

Entrada Franca, mediante retirada de ingresso na bilheteria de 25 a 30/03, das 13h às 20h30 ou no dia do evento até 2h antes da exibição. Sujeito à lotação. 

Informações: 71 3273 8543 (bilheteria) / 3273 8732 (produção)